Ser ou não ser “país do futuro”, eis uma questão discursiva

Article Portuguese OPEN
Braga, Diego Vieira; Ernst, Aracy;
(2015)
  • Publisher: Linguagem em (Dis)curso
  • Journal: Linguagem em (Dis)curso (issn: 1982-4017, eissn: 1518-7632)
  • Publisher copyright policies & self-archiving
  • Subject: Linguística | Discourse analysis; Political discourse; Interpretation; Imaginary; Development | Análisis del discurso; Discurso político; Interpretación; Imaginario; Desarrollo | Análise de discurso; Discurso político; Interpretação; Imaginário; Desenvolvimento

En este artículo analizamos un pronunciamiento de la Presidente Dilma Rousseff, que hace referencia al enunciado “Brasil, un país del futuro”, visto aquí como constituyente del imaginario social. Basado en el análisis del discurso de orientación en Michel Pêcheux, inves... View more
  • References (14)
    14 references, page 1 of 2

    1 Localizado em Petrópolis, no Estado do Rio de Janeiro, cidade em que Zweig e a esposa se refugiaram devido à Segunda Guerra Mundial e onde cometeram suicídio, temendo que o conflito chegasse também ao Brasil. Mais informações disponíveis em: <http://www.casastefanzweig.com.br>. Acesso em: 27 mar. 2014

    2 Na AD, a relação entre história e língua é tomada como constitutiva do discurso, sendo chamada historicidade o modo como a primeira se inscreve na segunda. DINES, A. Prefácio. In: ZWEIG, S. Brasil, um país do futuro. Porto Alegre, RS: L&PM, 2013. ______. A invenção do paraíso no inferno do Estado Novo. s.d. Disponível em: <http://www.casastefanzweig.org.br/sec_texto_view.php?id=18>. Acesso em: 03 maio 2014. FERREIRA, M. C. L. (Coord.). Glossário de termos do discurso. Porto Alegre: UFRGS, 2001. HENRY, P. A história não existe? In: ORLANDI, E. P. (Org.). Gestos de leitura: da história no discurso. Tradução de José Horta Nunes. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1994. p. 29-53.

    INDURSKY, F. A função enunciativa do porta-voz no discurso sobre o MST. ALEA: Estudos Neolatinos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 17-26, set. 2000.

    MACHADO, J. G. R.; PAMPLONA, J. B. A ONU e o desenvolvimento econômico: uma interpretação das bases teóricas da atuação do PNUD. Economia e Sociedade, Campinas, v. 17, n. 1 (32), p. 53-84, abr. 2008.

    ORLANDI, E. P. Prefácio. In: ORLANDI, E. (Org.). Discurso fundador. Campinas, SP: Pontes, 1993a. p. 7-9.

    ______. Vão surgindo sentidos. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Discurso fundador. Campinas, SP: Pontes, 1993b. p. 11-25.

    ______. Discurso e argumentação: um observatório do político. Fórum Linguístico, Florianópolis, n. 1, p. 73-81, jul./dez. 1998.

    ______. Língua e conhecimento linguístico. São Paulo: Cortez Editora, 2002. ______. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 5. ed. Campinas, SP: Pontes, 2003. ______. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 6. ed. Campinas, SP: Pontes, 2012. PÊCHEUX, M. Análise Automática do Discurso (AAD-69). In: GADET, F.; HAK; T. (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução de Eni Puccinelli Orlandi. Campinas: Editora da UNICAMP, 1993a. p. 61-162.

    ______. Análise de discurso: três épocas. In: GADET, F.; HAK; T. (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução de Jonas de A. Romualdo. Campinas: Editora da UNICAMP, 1993b. p. 311-319.

    ______. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Gestos de leitura. Da história no discurso. Tradução de Maria das Graças Lopes Morin do Amaral. Campinas: Editora da UNICAMP, 1994. p. 55- 66.

  • Metrics
Share - Bookmark