Processos não conscientes de produção de memórias falsas a partir do paradigma de associados convergentes

Doctoral thesis Portuguese OPEN
Rodrigues, Eduarda Pimentel (2009)
  • Subject: Memórias falsas | Paradigma DRM | Memória implícita | Atenção dividida | Aprendizagem | Processo de propagação da activação semântica | Processos de monitorização | False memories | DRM paradigm | Implicit memory | Divided attention | Acidental learning | Spreading | Monitoring processes | 159.953

Tese de doutoramento em Psicologia (área de conhecimento em Psicologia Experimental e Ciências Cognitivas) As memórias falsas, também designadas de distorções ou ilusões de memória, correspondem à recordação, parcial ou totalmente, alterada de acontecimentos passados (Roediger & McDermott, 2000). A produção de memórias falsas tem sido amplamente estudada com base num procedimento experimental de associados convergentes, mais conhecido por paradigma DRM (Deese/Roediger/McDermott). Esta metodologia, concebida por Deese (1959b) e desenvolvida por Roediger e McDermott (1995), consiste na apresentação de listas de palavras associadas a um item não apresentado - item crítico - que constitui o tema central da lista (e.g., “bolo”, “açúcar”, “chococale”, “algodão”, “agradável”, etc. associados ao item crítico “doce”) seguidas, em geral, de uma tarefa de evocação por cada lista e/ou de uma tarefa de reconhecimento. Apesar dos participantes serem instruídos a não tentarem adivinhar as palavras apresentadas observa-se um efeito robusto de ilusões de memória nas tarefas de evocação de reconhecimento. Por exemplo, no estudo de Roediger e McDermott (1995, Experiência 1) os autores obtiveram uma média de intrusão de itens críticos e de falsos alarmes relativos a itens críticos de 40% e 84%, respectivamente. Genericamente, os estudos realizados com o paradigma DRM têm procurado responder aos seguintes problemas: (1) O efeito de falsas memórias deve-se a processos mnésicos (que ocorrem durante a codificação, recuperação ou em ambas as fases), ou a processos decisórios, isto é, à tentativa dos participantes em adivinhar ou inferior estrategicamente as palavras estudadas apenas com base na relação das palavras à lista?; (2) A activação dos itens críticos pode resultar de processos não conscientes durante o estudo das listas?; e (3) Será que itens críticos são produzidos em tarefas de memória implícita? O presente trabalho visou explorar os mecanismos não conscientes de produção e de recuperação de memórias falsas no paradigma DRM. Para esse efeito realizámos três experiências e um estudo prévio. Na primeira experiência testámos se os itens críticos seriam recuperados numa tarefa de memória implícita de complemento de radicais de palavras, sem recurso a estratégias de recordação explícitas. Por forma a verificar a contaminação do teste de memória implícita manipulámos o nível de processamento. Outra variável estudada reportou-se à realização ou não de uma tarefa de evocação livre após a codificação de cada lista de associados. Atendendo a que metade dos participantes seria avaliado com base numa tarefa de completamento de radicais de palavras e dada a inexistência de normas deste tipo publicadas em língua portuguesa para aplicar no paradigma DRM realizámos um estudo prévio de construção de normas (Pimentel & Albuquerque, 2007), que também foram usadas no âmbito da terceira experiência. De acordo com os resultados da primeira experiência, o efeito de primação semântica foi, não só significativo, como estatisticamente superior ao de primação directa. Além disso, o completamento de radicais de palavras com associados e itens críticos não se deveu à utilização de estratégias de recuperação explícita uma vez que, contrariamente ao que sucedeu nas tarefas de memória explícita de evocação e de reconhecimento, os radicais de palavras processadas profundamente não tiveram uma maior probabilidade de serem completados com essas palavras do que os radicais de palavras palavras processadas a nível superficial. Relativamente ao impacto da variável evocação após cada lista, verificou-se que esta favoreceu a recuperação implícita de associados, mas não de itens críticos. Na segunda experiência analisámos o efeito da atenção dividida na produção de memórias falsas recorrendo à audição dicótica com ou sem sombreamento das listas apresentadas. Após a fase de codificação, os participantes realizaram uma tarefa de evocação ou uma tarefa de reconhecimento. Nessa experiência constatámos que em ambas as tarefas de memória a recuperação dos itens críticos foi reduzida, mas não anulada, em função da diminuição dos recursos atencionais disponíveis em todas as condições de processamento (condição de sombreamento do canal atendido, condição de audição dicótica e condição de sombreamento do canal não atendido). Além disso, em todos os tipos de processamento a recuperação do item crítico teve uma magnitude comparável à de associados, quer na tarefa de evocação quer na de reconhecimento. Na última experiência testámos se a leitura intencional seria necessária à recuperação explícita e implícita de itens críticos. Para esse efeito usámos a mesma metodologia implementada por Dodd e MacLeod (2004, Experiência 1) que consistiu na apresentação de associados como distractores numa tarefa de Stroop adaptada ao paradigma DRM. Após a realização da tarefa de identificação rápida das cores das palavras (associados), metade da amostra realizou uma tarefa de memória explícita de reconhecimento e a outra metade uma tarefa de memória implícita de completamento de radicais de palavras. Os resultados do estudo revelaram que a leitura não intencional dos associados foi suficiente para produzir a recuperação explícita e implícita dos itens críticos. Os dados obtidos nas três experiências são intrepretados com base no mecanismo de propagação automática da activação semântica e dos processos de monitorização preconizados pela abordagem de duplo-processo da activação/monitorização, proposta por Roediger e colaboradores. False memories, also called distortions or memory illusions, can be either remembering events that never happened, or remembering past events in a partially or entirely differently way from the way they happened. The production of false memories has been widely studied using the convergent associates procedure, which is known by DRM paradigm (Deese/Roediger/McDermott). This methodology, created by Deese (1959b) and extended by Roediger and McDermott (1995), comprises the presentation of lists of words associated to a critical nonpresented word – critical item – which is the central theme of the list (e.g., “cake”, “sugar”, “chocolate”, “candy floss”, “pleasant”, etc. associated to the critical item “sweet”) followed, generally, by a recall task, by list, and/or a recognition task. Notwithstanding participants being told not to guess the studied words, a robust memory illusions effect is obtained either in recall or in recognition task. For example, in Roediger and McDermott study (1995, Experiment 1) the authors found that critical items were recalled 40% and 84% were falsely recognized. Generally speaking, the studies with DRM paradigm seek to answer to the following problems: (1) Is the false memory effect due to mnesic processes (which occur during the encoding phase, retrieval phase or both), or due to decision processes, namely strategically guess or infer the studied words, based only on its perceived relationship to the list?; (2) Can the activation of critical items be a result of nonconscious processes during the study of the lists?; and (3) Can the critical item be produced in implicit memory tasks?. The main goal of the present research was to explore the unconscious mechanisms of producing and retrieval underling false memories in DRM paradigm. To achieve this purpose were developed three experiments and a previous study. In the first experiment, we examined whether the critical items could occur in an implicit memory task of word stem completion, without using explicit retrieval strategies. In order to verify the explicit contamination of the test memory we manipulated the level of processing. Another variable studied was the performing, or not, of a recall task after the presentation of each list. Since half of the sample would be tested with a word stem completion task, and due to the fact that until the moment there were not published Portuguese norms of this type to be applied to DRM procedure, a previous study was performed with this aim (Pimentel & Albuquerque, 2007). These norms were also fundamental for the third experiment. The results from the first experiment revealed that semantic priming effect was, not only significant, but also statistically above the direct priming effect. Moreover, the word stem completion with associates and critical items was not due to the use of explicit recollection strategies. Since, opposed to what happened in the explicit memory tasks of recall and recognition, the word stems corresponding to items deeply processed did not showed a higher probability of being completed with those items, than with words encoded in the shallow level. Concerning to the impact of the variable recall after each list, the results revealed that this independent variable increased the implicit retrieval of associates, but not of critical items. In the second experiment, we analysed the effect of divided attention for the production of false memories using the dichotic listening with or without shadowing the presented lists. After the encoding phase participants were instructed to do one of the following tasks: recall or recognition. In this experiment it was found that in both memory tasks the retrieval of critical items was reduced, but not eliminated, by the decrease of the attentional resources in all processing conditions (shadowing condition of the attended channel, dichotic listening condition and shadowing condition of the unattended channel). Furthermore, in all types of processing the level of critical items was quite similar to the one obtained for the associates, in recall and recognition tasks. In the final experiment, we examined if intentional reading was necessary for explicit and implicit production of the critical items. To reach this purpose, the methodology followed by Dodd and MacLeod (2004, Experiment 1) was used. Thus, the associated words were presented as distractors in a Stroop-like task, suitable for the DRM paradigm. After performing the rapid colour identification of words (associates), half of sample was instructed to make an explicit memory task of recall and the other half to respond to an implicit memory task of stem word completion. The results revealed that unintentional reading of associates was sufficient to produce the explicit and implicit retrieval of the critical items. The data obtained across experiments were explained on the base of the automatic spreading semantic activation mechanism and the monitoring process hold by the dual-process model of activation/monitoring, proposed by Roediger and his colleagues. Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) - Bolsa de doutoramento SFRH/BD/22832/2005
  • Metrics
    0
    views in OpenAIRE
    41
    views in local repository
    23
    downloads in local repository

    The information is available from the following content providers:

    From Number Of Views Number Of Downloads
    Universidade do Minho: RepositoriUM 41 23
Share - Bookmark