Estilos interpessoais e participação em redes sociais em diferentes ambientes de trabalho

Master thesis Portuguese OPEN
Brito, Fernanda de Souza (2012)
  • Subject: Estilos interpessoais | Análise de redes sociais | Ambientes ocupacionais | Interpersonal styles | Social network analysis | Occupational environments

110f. Este estudo examinou a relação entre estilos interpessoais e a participação do indivíduo nas redes sociais em diferentes ambientes de trabalho. Redes sociais se formam pelos vínculos afetivos, cognitivos e de compartilhamento de recursos estabelecidos entre atores sociais. Diferenças de desempenho no trabalho podem estar relacionadas ao posicionamento das pessoas em suas redes sociais. Ocupar uma posição de centralidade em uma rede social possibilita a aquisição de informações importantes e várias formas de influência interpessoal. A conquista dessas posições privilegiadas está associada a benefícios como sucesso na carreira, desempenho e satisfação no trabalho. Estudos sobre personalidade têm experienciado um renascimento no âmbito organizacional, e muitos têm evidenciado a importância de características da personalidade para prever resultados ocupacionais. Sabe-se que a predominância de determinadas características de personalidade no ambiente de trabalho formam modos peculiares de convivência do grupo, assim, é importante lembrar que ambientes variam em termos de quais estilos de personalidade valorizam e conferem aceitação ao seu portador. Os estilos interpessoais são estratégias comportamentais que descrevem a maneira habitual de uma pessoa interagir socialmente e buscar aceitação e status nas coletividades em que participa. Nesse sentido, os estilos interpessoais são importantes para compreender o sucesso interpessoal do indivíduo na sua busca por ser aceito, reconhecido e ter um lugar de destaque no seu ambiente de trabalho. Deste modo, o objetivo deste estudo foi analisar e comparar a relação entre estilos interpessoais e centralidade nas redes sociais em diferentes equipes de trabalho. Participaram desta pesquisa 80 trabalhadores distribuídos em 03 equipes de diferentes empresas: marketing de um jornal (MKT, n=24); serviços de registro documentos (SRD, n=20); fábrica de aparelhos mecânicos (FAB, n=36). O instrumento foi composto por variáveis sócio-demográficas, pelo Inventário ESEI (Escalas de Estilos Interpessoais), e pelo questionário sociométrico que possibilitou o cálculo dos índices de centralidade das redes de confiança. As equipes foram caracterizadas em relação às variáveis sócio-demográficas, ao tipo de ambiente ocupacional e ao perfil médio de estilos interpessoais. Em seguida, os estilos interpessoais dos atores foram correlacionados aos seus índices de centralidade na rede de confiança, e alguns casos foram analisados. Foram encontradas diferenças significativas nas dimensões de estilos interpessoais entre as equipes, e a análise correlacional e qualitativa dos estilos interpessoais dos atores centrais, indicaram que cada equipe valoriza atores com diferentes perfis interpessoais, conferindo-lhes aceitação e prestígio. Os resultados revelam a importância do tipo de ambiente ocupacional para compreender os estilos interpessoais predominantes na equipe e suas relações com a centralidade dos atores na rede de confiança. As implicações das relações entre os estilos interpessoais, a centralidade dos atores nas redes de confiança e os tipos de ambiente ocupacional são discutidas. Por fim, considera-se a importância de alinhar dimensões da personalidade ao ambiente ocupacional na busca por uma compreensão cada vez mais acurada sobre os comportamentos humanos no trabalho. This study examined the relationship between interpersonal styles and the individual's participation in social networks in different workplaces. Social networks are formed by emotional ties, cognitive, and resource sharing established between social actors. Differences in job performance may be related to the positioning of people in their social networks. Occupy a position of centrality in a social network enables the acquisition of important information and various forms of interpersonal influence. The achievement of these privileged positions is associated with benefits such as career success, performance and job satisfaction. Studies on personality have experienced a renaissance in the organizational, and many have shown the importance of personality traits to predict occupational outcomes. It is known that the prevalence of certain personality traits in the workplace form particular ways of living of the group, so it is important to remember that environments vary in terms of personality styles which value and give acceptance to the wearer. The interpersonal styles are behavioral strategies that describe the usual way a person interacts socially and seek acceptance and status in the communities in which it participates. In this sense, interpersonal styles are important to understand the individual's interpersonal success in their search to be accepted, recognized and have a prominent place on your workplace. Thus, the objective of this study was to analyze and compare the relationship between interpersonal styles and centrality in social networks in different teams. In this study, participated 80 workers, divided into 03 teams from different companies: marketing department of a newspaper (MKT, n= 24); services registration documents (SRD, n= 20); factory mechanical (FAB, n= 36). The questionnaire consisted of sociodemographic variables, the Inventory ESEI (Interpersonal Styles Scale), and the sociometric questionnaire that enabled the calculation of the indices of centrality of trust networks. The teams were characterized in relation to socio-demographic variables, the type of workplace and the average profile of interpersonal styles. Then the interpersonal styles of the actors were correlated to their levels of centrality in the trust network, and some cases were analyzed. There were significant differences in the dimensions of interpersonal styles between teams, and correlational analysis of qualitative and interpersonal styles of key players, each team indicated that values interpersonal actors with different profiles, giving them acceptance and prestige. The results reveal the importance of the kind of workplace to understand the interpersonal styles prevalent in the team and its relations with the centrality of actors in the network of trust. The implications of the relationship between interpersonal styles, the centrality of the actors in the networks of trust and the kinds of workplace are discussed. Finally, we consider the importance of aligning the personality dimensions of occupational environment in the quest for a more accurate understanding of human behavior at work.
Share - Bookmark