Adolescentes em tratamento psiquiátrico: um estudo fenomenológico das vivências em seus relacionamentos sócio-afetivos-sexuais

Master thesis Portuguese OPEN
Fernanda Tomé Marleta Iezzi (2013)
  • Publisher: Universidade de São Paulo
  • Subject: Adolescence | Adolescência | Fenomenologia | Phenomenology | Psicopatologia | Psychopathology | Relacionamentos sócio-afetivo-sexuais. | Relationships socio-emotional-sexual. | Psicologia

RESUMO Marleta-Iezzi, F. T. (2013) Adolescentes em tratamento psiquiátrico: um estudo fenomenológico das vivências em seus relacionamentos sócio-afetivo-sexuais. Dissertação de Mestrado Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Na presente dissertação buscamos situar e (re)conhecer o fenômeno das vivências dos relacionamentos sócio-afetivo-sexuais de adolescentes submetidos a tratamento psiquiátrico, por compreender que a adolescência é caracterizada por um complexo processo de crescimento e desenvolvimento biopsicossocial e está inserida no contexto sócio-histórico atual, o qual apresenta uma configuração de incertezas, rápidas transformações, ideologia consumista e hedonista, ressoando na constituição psíquica dos(as) adolescentes, bem como em seus relacionamentos sócio-afetivo-sexuais. Neste sentido, suas vivências mundanas podem acarretar intenso sofrimento emocional, desencadeando a necessidade de tratamento psiquiátrico. Partindo desta premissa, realizamos esta pesquisa com 10 adolescentes, sendo 5 do sexo feminino e 5 do masculino, com idades entre 13 e 19 anos, submetidos(as) a tratamento psiquiátrico, objetivando compreender como estes(as) adolescentes vivenciam suas relações intrafamiliares, sociais e afetivo-sexuais. Utilizamos a metodologia qualitativa fenomenológica, centrada na redução, e nos baseamos em fenomenológos como Karl Jaspers, Arthur Tatossian, Virgínia Moreira e Claudio Lyra Bastos, entre outros autores, que explicitam a importância do conhecimento das experiências e significações que a pessoa faz de suas vivências, para compreendê-la em sua totalidade. Como estratégia de coleta de dados, utilizamos a entrevista compreensiva fenomenológica mediada pela seguinte questão: Fale a respeito de sua infância e de sua adolescência, relacionando-as aos seus relacionamentos intrafamiliares, escolares, afetivo-sexuais e ao seu tratamento aqui no ambulatório. A análise dos relatos seguiu os seguintes passos: leitura e releitura para apreensão do sentido do todo; discriminação das unidades de significado e elaboração de categorias; transformação em linguagem psicológica; identificação das convergências e divergências, elaborando uma síntese descritiva. Foram destacadas as seguintes categorias de significados: Mundo-da-vida na infância nos horizontes das relações intrafamiliares; Mundo-da-vida nos relacionamentos sociais; Mundo-da-vida nos relacionamentos afetivo-sexuais; Horizontes das vivências de sentimentos dolorosos. A análise compreensivo-interpretativa indicou relações intrafamiliares, em sua maioria, conturbadas, sendo as mães as principais cuidadoras dos(as) filhos(as) e sobrecarregadas em suas jornadas de trabalho intra e extrafamiliares, enquanto os pais mostraram ser ausentes, negligentes e, em alguns casos, violentos contribuindo para prejuízos no desenvolvimento psíquico dos(as) adolescentes, bem como em seus relacionamentos sociais e afetivo-sexuais. Além disso, encontramos experiências de bullying nas relações com os pares e com as autoridades escolares, afetando o aprendizado acadêmico e a autoestima dos(as) adolescentes. Estas vivências intrafamiliares e sociais repercutem nos relacionamentos afetivo-sexuais, que associados à falta de diálogo e orientação sobre sexualidade, evidenciaram sofrer influências da mídia, além de apresentar conflitos entre os modelos tradicional-patricarcal-religioso e a cultura atual de experimentação sexual e busca por prazer, com prejuízos na autoimagem acarretando dificuldades no estabelecimento de vínculos e na formação da identidade. Assim, nos horizontes das vivências de sofrimento emocional compreendemos que as psicopatologias são produto das experiências nas inter-relações, acrescendo-se às características genéticas, que dificultam a vivência autêntica. Portanto, faz-se necessário maior preparo dos profissionais da saúde e das escolas, além de ser fundamental o desenvolvimento de programas assistenciais às famílias, possibilitando orientação e suporte social e psicológico, para o estabelecimento de diálogo e compreensão entre seus membros, auxiliando os(as) adolescentes nesta fase tão importante da vida. ABSTRACT Marleta-Iezzi, F. T. (2013) Adolescents in psychiatric treatment: a phenomenological study of the experiences of their relationships socio-emotional-sexual. Dissertação de Mestrado Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. The present work seeks to situate and recognize the phenomenon of the experiences at the relationships socio-affective-sexual of adolescents undergoing psychiatric treatment, by understanding that adolescence is characterized by a complex process of growth and development biopsychosocial and is inserted into the current socio-historical context, which presents a setting of uncertainty, rapid changes, hedonistic and consumerist ideology, echoing the psychic constitution of adolescents and in their relationships socio-emotional-sexual. In this sense, his mundane experiences can cause intense emotional pain, triggering the need for psychiatric treatment. In this sense, his mundane experiences can cause intense emotional pain, triggering the need for psychiatric treatment. Setting from this premises, we conducted this study with 10 adolescents, 5 female and 5 male, aged between 13 and 19 years undergoing psychiatric treatment, objectifying understand how these adolescents perceive their family, social and emotional-sexual relationships. We use the phenomenological qualitative methodology, focused on reducing, supported by phenomenologists as Karl Jaspers, Arthur Tatossian, Virginia Moreira and Claudio Lyra Bastos, among others, which explain the importance of understanding the experiences and meanings that the person makes of their experiences, to understand it in its entirety. As a strategy for data collection, we used the interview phenomenological understanding mediated by the following question: \"Tell me about your childhood and your adolescence, relating them to your relationships within the family, school, emotional-sexual and your treatment here at the clinic.\" Analysis of the reports involved the following steps: reading and rereading to grasp the meaning of the whole; identifying the units of the meaning; transformation in psychological language, identification of convergences and divergences, producing a descriptive summary. We highlighted the following categories of meaning: World-of-life childhood in the horizons of family relationships; World-of-life in social relationships; World-of-life in affective and sexual relationships; Horizons of the experiences of painful feelings. The comprehensive-interpretative analysis indicated family relationships mostly troubled, with mothers being the primary caregivers of children and overburdened in their working hours intra and extra family while their parents were shown to be absent, negligent and, in some cases, violent contributing damage to the psychological development of adolescents as well as in their social and emotional-sexual relationships. Furthermore, we find experiences of bullying in relationships with peers and school authorities, affecting academic learning, self-esteem and self-image of adolescents. These family and social experiences affect the affective and sexual relationships, which together with the lack of dialogue and guidance on sexuality, evidenced suffer media influences and present conflicts between models patricarcal-traditional-religious and the current culture of sexual experimentation and search for pleasure, damage to self-image leading to difficulty in establishing linkages and the formation of identity. Thus, the horizons of the experiences of emotional distress show that psychopathologies are the product of experience in interrelations, adding to the genetic characteristics, which damages the experience authentic. Therefore, it is necessary to better preparation of health and schools professionals, as well as being fundamental to the development assistance programs to families, providing guidance and social and psychological support for the establishment of dialogue and understanding among its members, helping teens at this stage of life, which is so important.
Share - Bookmark