De olho nos muros: itinerÃrio do graffiti em Fortaleza

Master thesis Portuguese OPEN
Lara Denise Oliveira Silva (2014)
  • Publisher: Universidade Federal do CearÃ
  • Subject: SOCIOLOGIA URBANA | Cidade | Graffiti | PixaÃÃo | Habitus transgressor | City | Grafitos â Fortaleza(CE) | Grafiteiros â Fortaleza(CE) â Atitudes | Arte de rua â Fortaleza (CE) | Subcultura â Fortaleza(CE) | EspaÃos pÃblicos â Fortaleza(CE)

This paper has been themed graffiti in the city of Fortaleza and the ramifications of this practice between places, "inside" and "outside" of the landscape scenes that bring those experiences. It is possible define graffiti like figurative images, drawings, letters and names made with spray paint of various colors on walls, bridges, telephone boxes, among other bases, that make up the landscape of large and medium cities, here and abroad. Seen as a marginal activity in the recent past in Brazil, the graffiti is a practice currently allowed by law, although its legalization still bears contradictions. It is being increasingly used by media and advertising, and seems to have attracted the attention of the general population. Within the visions of positive graffiti, identify themselves, commonly, two positions: one that believes that it is an intervention that beautifies the city and according to which it considers that this activity diverts the focus of pixaÃÃo and experiences of crime. It can be said that the graffiti even crossed by different understandings, is one of the languages that make up the street art or urban art, concept art universe comprising the artistic productions that use urban theme and as support. It can also be considered a kind of "urban calligraphy" since the letters also takes place in graffiti, constituting one of its oldest and most favored styles. To occupy the public sphere, the graffiti is part of the list of records murals since prehistory use public areas for communication, protests, declarations etc.. By tracking the routes of graffiti in the city, it was possible to sketch a map of graffiti in Fortaleza identifying itself: how does the choice of local graffiti, graffiti artists who are, in what way are related to the city, as they build their repertoires artistic and how articulate a habitus (Bourdieu, 1993, 2003) specific, named by me transgressor, which is what ensures recognition as graffiti in and out of the scene. The relationship between graffiti and pixaÃÃo was also discussed, revealing the connections that exist between these two practices. Este trabalho tem como tema o graffiti na cidade de Fortaleza e os desdobramentos dessa prÃtica entre lugares: âdentroâ e âforaâ das cenas que congregam a paisagem dessas experiÃncias. Entende-se por graffiti imagens figurativas, desenhos, letras e nomes feitos com tinta spray de vÃrias cores em muros, paredes, viadutos, caixas de telefone, entre outros suportes, que compÃem a paisagem das cidades grandes e mÃdias, brasileiras e internacionais. Visto como atividade marginal em um passado recente no Brasil, o graffiti atualmente à uma prÃtica permitida por lei, embora sua legalizaÃÃo ainda comporte contradiÃÃes. Ele vem sendo cada vez mais utilizado pela mÃdia e publicidade e parece ter atraÃdo a atenÃÃo da populaÃÃo em geral. No Ãmbito das visÃes de positividade do graffiti, identificam-se, comumente, duas posiÃÃes: a que acredita que se trata de uma intervenÃÃo que embeleza a cidade e segundo a que considera que essa atividade desvia o foco da pixaÃÃo e de experiÃncias de delinquÃncia. Pode-se dizer que o graffiti, mesmo atravessado por entendimentos diversos, à uma das linguagens que compÃe a street art ou arte urbana, conceito do universo da arte que compreende as produÃÃes artÃsticas que utilizam o urbano como tema e como suporte. Ele tambÃm pode ser considerado uma espÃcie de âcaligrafia urbanaâ, jà que as letras tambÃm tem lugar no graffiti, constituindo um de seus estilos mais antigo e privilegiado. Por ocupar a esfera pÃblica, o graffiti faz parte do rol dos registros murais que desde a prÃ-histÃria utilizam as superfÃcies pÃblicas para comunicaÃÃo, protestos, declaraÃÃes etc. Ao acompanhar os itinerÃrios dos grafiteiros pela cidade, foi possÃvel esboÃar uma cartografia do graffiti em Fortaleza identificando-se: como ocorre a escolha dos locais grafitados, quem sÃo os grafiteiros, de que maneira relacionam-se com a cidade, como constroem seus repertÃrios artÃsticos e de que forma articulam um habitus (BOURDIEU, 1993; 2003) especÃfico, denominado por mim de transgressor, que à o que garante o reconhecimento como grafiteiro dentro e fora da cena. A relaÃÃo entre graffiti e pixaÃÃo tambÃm foi discutida, revelando as conexÃes que existem entre estas duas prÃticas. Este trabalho tem como tema o graffiti na cidade de Fortaleza e os desdobramentos dessa prÃtica entre lugares: âdentroâ e âforaâ das cenas que congregam a paisagem dessas experiÃncias. Entende-se por graffiti imagens figurativas, desenhos, letras e nomes feitos com tinta spray de vÃrias cores em muros, paredes, viadutos, caixas de telefone, entre outros suportes, que compÃem a paisagem das cidades grandes e mÃdias, brasileiras e internacionais. Visto como atividade marginal em um passado recente no Brasil, o graffiti atualmente à uma prÃtica permitida por lei, embora sua legalizaÃÃo ainda comporte contradiÃÃes. Ele vem sendo cada vez mais utilizado pela mÃdia e publicidade e parece ter atraÃdo a atenÃÃo da populaÃÃo em geral. No Ãmbito das visÃes de positividade do graffiti, identificam-se, comumente, duas posiÃÃes: a que acredita que se trata de uma intervenÃÃo que embeleza a cidade e segundo a que considera que essa atividade desvia o foco da pixaÃÃo e de experiÃncias de delinquÃncia. Pode-se dizer que o graffiti, mesmo atravessado por entendimentos diversos, à uma das linguagens que compÃe a street art ou arte urbana, conceito do universo da arte que compreende as produÃÃes artÃsticas que utilizam o urbano como tema e como suporte. Ele tambÃm pode ser considerado uma espÃcie de âcaligrafia urbanaâ, jà que as letras tambÃm tem lugar no graffiti, constituindo um de seus estilos mais antigo e privilegiado. Por ocupar a esfera pÃblica, o graffiti faz parte do rol dos registros murais que desde a prÃ-histÃria utilizam as superfÃcies pÃblicas para comunicaÃÃo, protestos, declaraÃÃes etc. Ao acompanhar os itinerÃrios dos grafiteiros pela cidade, foi possÃvel esboÃar uma cartografia do graffiti em Fortaleza identificando-se: como ocorre a escolha dos locais grafitados, quem sÃo os grafiteiros, de que maneira relacionam-se com a cidade, como constroem seus repertÃrios artÃsticos e de que forma articulam um habitus (BOURDIEU, 1993; 2003) especÃfico, denominado por mim de transgressor, que à o que garante o reconhecimento como grafiteiro dentro e fora da cena. A relaÃÃo entre graffiti e pixaÃÃo tambÃm foi discutida, revelando as conexÃes que existem entre estas duas prÃticas. This paper has been themed graffiti in the city of Fortaleza and the ramifications of this practice between places, "inside" and "outside" of the landscape scenes that bring those experiences. It is possible define graffiti like figurative images, drawings, letters and names made with spray paint of various colors on walls, bridges, telephone boxes, among other bases, that make up the landscape of large and medium cities, here and abroad. Seen as a marginal activity in the recent past in Brazil, the graffiti is a practice currently allowed by law, although its legalization still bears contradictions. It is being increasingly used by media and advertising, and seems to have attracted the attention of the general population. Within the visions of positive graffiti, identify themselves, commonly, two positions: one that believes that it is an intervention that beautifies the city and according to which it considers that this activity diverts the focus of pixaÃÃo and experiences of crime. It can be said that the graffiti even crossed by different understandings, is one of the languages that make up the street art or urban art, concept art universe comprising the artistic productions that use urban theme and as support. It can also be considered a kind of "urban calligraphy" since the letters also takes place in graffiti, constituting one of its oldest and most favored styles. To occupy the public sphere, the graffiti is part of the list of records murals since prehistory use public areas for communication, protests, declarations etc.. By tracking the routes of graffiti in the city, it was possible to sketch a map of graffiti in Fortaleza identifying itself: how does the choice of local graffiti, graffiti artists who are, in what way are related to the city, as they build their repertoires artistic and how articulate a habitus (Bourdieu, 1993, 2003) specific, named by me transgressor, which is what ensures recognition as graffiti in and out of the scene. The relationship between graffiti and pixaÃÃo was also discussed, revealing the connections that exist between these two practices.
Share - Bookmark