Minimização de efluentes

Master thesis Portuguese OPEN
Pasqualini, Andreia (2004)
  • Publisher: Florianópolis, SC
  • Subject: Engenharia de produção | Galvanoplastia

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológco. Programa de Pos-Graduação em Engenharia de Produção. A otimização dos processos de galvanização tem sido amplamente estudados devido ao descarte de banhos utilizados que apresentam alta concentração de metais pesados, utilização de produtos químicos altamente tóxicos, como é o caso do cianeto, e também o elevado volume de água e energia utilizados. Como conseqüência do processo produtivo são gerados efluentes líquidos, sólidos e gasosos que quando dispostos sem tratamento prévio acarretam sérios problemas ao ecossistema. Neste trabalho foram estudados alternativas para minimização de perdas nos banhos e reutilização de águas de descarte, como conseqüência uma redução na geração de efluentes líquidos. Os testes foram realizados na indústria Metalciclo localizada no Alto Vale do Itajaí. A minimização de perdas do processo produtivo constitui em medidas de baixo custo de implantação na galvanização. Para esta etapa foram quantificados o volume de banho utilizado, banho desviado, banho arrastado e a substituição de banhos com cianeto por banho alcalino sem cianeto. O reaproveitamento do efluente líquido gerado foi realizado como alternativa para redução no consumo de água potável. A perda com águas de lavagem representa o maior desvio do processo. As reduções obtidas na minimização de perdas de banhos desviados foi de 5,04% e o arraste 20,76% em relação aos valores anteriores da empresa. A reutilização das águas de descarte foi realizada nos tanques de tamboreamento e limpeza das peças do pré-tratamento, os testes realizados foram na ordem de 50% de efluente com 50% de água isenta de contaminantes, e o segundo teste com 100% de efluente, os resultados ficaram dentro do padrão exigido pela empresa, que são a espessura da deposição metálica e o aspecto visual, reduzindo a utilização de novos banhos em 86,63%.
Share - Bookmark