Violência doméstica contra adolescentes: o olhar dos educadores sociais

Master thesis Portuguese OPEN
Amorim, Talita Carlos Maia (2011)
  • Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Subject: Violência doméstica | Adolescentes | Educadores sociais | Políticas públicas. | Domestic violence | Teen | Social educators | Public policy. | :CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA [CNPQ]

A Violência Doméstica, como uma expressão particular da violência contra adolescentes, constitui fenômeno historicamente construído a partir das relações de poder que perpassam o gênero, a etnia e a classe social, demandando atenção diferenciada. A classificação em uma vala comum do que se entendia por criança e por adolescente sob as doutrinas do direito do menor e da situação irregular resultou, em geral, na elaboração, para o público adolescente, de políticas e de ações fragilizadas e ineficientes no tocante à violência doméstica. Não obstante o Estatuto da Criança e do Adolescente definir com clareza o que se entende por criança e por adolescente, romper com as doutrinas menoristas e adotar a doutrina da proteção integral, ainda se constata pouca orientação para as ações e políticas públicas voltadas ao tema. Tal deficiência contribui para caracterizar a atual prática dos educadores sociais com a violência doméstica, marcada pela ausência de formação específica; por inadequadas condições de trabalho; pela falta de preparo da rede de atendimento. Assim, com o objetivo de iniciar a discussão a respeito de elementos que compõem a prática voltada para essa problemática, o presente estudo se propõe a problematizar a concepção detida pelos educadores sociais que atuam na rede pública de Assistência Social da cidade do Natal/RN, a respeito da temática da violência doméstica contra adolescentes, atentando para itens como sua inserção profissional, sua formação e suas condições de trabalho. Adota-se como referências norteadoras a reflexão calcada na Pedagogia Problematizadora, de Paulo Freire, e na perspectiva sócio-histórica. O procedimento metodológico, de natureza quali-quantitativa, constituiu-se de levantamento censitário e caracterização psicossocial dos educadores junto às Secretarias Municipal e Estadual de Assistência; da aplicação de questionário aos educadores, composto por questões abertas e fechadas; e da observação e registro em diário de campo das atividades de trabalho deles. Dos 111 profissionais da rede, 64 responderam ao questionário, o que representa mais de 50% do total. A caracterização psicossocial apresenta dados como a predominância de uma baixa renda familiar e de profissionais do sexo feminino; a observação permitiu identificar que o fazer profissional não tem um parâmetro técnico, sendo as atividades realizadas de acordo com as representações de cada profissional a respeito do trabalho, da problemática e dos adolescentes envolvidos, revelando uma perspectiva individual de ação. E uma análise preliminar das respostas ao questionário apontou que tais profissionais são submetidos a precárias condições de trabalho, bem como se percebe um relativo desconhecimento acerca da rede de atendimento aos adolescentes em situação de risco e do ECA, tudo isso resultando em concepções marginalizantes, restritas e deturpadas a respeito da violência doméstica contra adolescentes. Domestic violence as a specific expression of violence against adolescents, is historically constructed from phenomenon of power relations that permeate the gender, ethnicity and social class, requiring differentiated attention. Sorting in A mass grave of what is understood by a child and teenager under the doctrines of the law of the minor and of irregular situation resulted, in General, in the preparation for the teenage audience, of policies and actions, fragile and inefficient with regard to domestic violence. Despite the status of children and adolescents clearly define what is meant by child and teenager, break with the menoristas doctrines and embrace the doctrine of integral protection, even if there is little guidance for the public actions and policies geared to the theme. Such deficiency contributes to characterize the current practice of social educators about domestic violence, marked by the absence of specific training; by inadequate working conditions; lack of preparation of the network of care. Thus, with the objective to start the discussion regarding the elements that make up the practice focused on this issue, the present study proposes to problematizing the design held by social educators working in public Social assistance of the city of Natal/RN, regarding the issue of domestic violence against adolescents, by paying attention to such things as their vocational integration, their training and their working conditions. Adopts norteadoras references as having its roots in the Pedagogia Problematizadora, Paulo Freire, and socio-historical perspective. The methodological procedure of nature quali-quantitative was lifting censitário and psychosocial characterization of educators together to State and local Departments of assistance; the application of questionnaire to educators, composed of open and closed issues; and observation and field journaling activities of their work. Of network professionals, 111 64 replied to the questionnaire, which represents more than 50% of the total. Psychosocial characterization exposes data as the predominance of low family income and female professionals; the note identified that do not have a professional technical parameter, and the activities carried out in accordance with the representations of each professional the respect of labour, problematic and adolescents involved, revealing an individual perspective of action. And a preliminary analysis of responses to the questionnaire pointed out that such professionals are subjected to precarious working conditions, as well as one realizes a relative ignorance about the network of care for adolescents at risk and ACE, all this resulting in restricted marginalizantes conceptions, and misleading information regarding domestic violence against teenagers.
Share - Bookmark