Fatores associados à morbidade respiratória entre 12 e 36 meses de vida de crianças nascidas de muito baixo peso oriundas de uma UTI neonatal pública

Article Portuguese OPEN
Chalfun,Geórgia ; Mello,Rosane Reis de ; Dutra,Maria Virginia Peixoto ; Andreozzi,Valeska Lima ; Silva,Kátia Silveira da (2009)
  • Publisher: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
  • Subject: Prematuro | Recém-Nascido de Baixo Peso | Doenças Respiratórias

O objetivo do estudo foi estimar a morbidade respiratória entre 12 e 36 meses em crianças prematuras e identificar os fatores associados. A população compreendeu 84 crianças de uma coorte de prematuros de muito baixo peso. O desfecho foi a taxa de incidência de morbidade respiratória. A associação entre as variáveis independentes e morbidade respiratória foi verificada por modelo linear generalizado. Entre 12 e 24 meses, 56,3% das crianças apresentaram morbidade respiratória. Entre 24 e 36 meses, 38,1% das crianças foram acometidas. As variáveis associadas à morbidade respiratória foram: displasia broncopulmonar (RT = 1,9; IC95%: 1,2-2,9), complacência pulmonar alterada (RT = 1,6; IC95%: 1,1-2,2), pneumonia neonatal (RT = 2,8; IC95%: 2,0-4,0), persistência do canal arterial (RT = 1,6; IC95%: 1,1-2,4) e morbidade respiratória no primeiro ano de vida (RT = 1,8; IC95%: 1,3-2,6). A incidência de morbidade respiratória entre 12 e 36 meses se manteve elevada neste grupo de crianças de alto risco, o que reforça a necessidade de acompanhamento e de intervenções efetivas na prevenção do adoecimento e na melhora da qualidade de vida destas crianças e suas famílias.
Share - Bookmark