Diversidade dos Belytinae (Hymenoptera: Diaprioidea: Diapriidae) ao longo de um gradiente latitudinal de Mata Atlântica Ombrófila Densa

Master thesis Portuguese OPEN
Alex Leite Quadros (2015)
  • Publisher: Universidade de São Paulo
  • Subject: Atlantic Forest | Belytinae | Diapriidae | Diversidade | Diversity | Gradiente Latitudinal | Latitudinal Gradient | Mata Atlântica | Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade

Os principais objetivos deste trabalho foram conhecer a distribuição da riqueza dos Hymenoptera parasitoides Diapriidae Belytinae ao longo de um gradiente latitudinal da Mata Atlântica e explicar as causas do padrão de riqueza encontrado por comparação com os padrões descritos para outros grupos. Os Belytinae exercem papel chave na regulação natural de populações de muitas espécies de Mycetophilidae e Sciaridae (Diptera) e o conhecimento sobre a diversidade desta subfamília no bioma Mata Atlântica é relativamente pequeno. O material utilizado neste estudo provém de coletas realizadas em 18 localidades regularmente espaçadas, da Paraíba à Santa Catarina, entre os anos de 2000 e 2002, no âmbito do projeto Riqueza e diversidade de Hymenoptera e Isoptera ao longo de um gradiente latitudinal na Mata Atlântica - a floresta pluvial do leste do Brasil (Biota/SP Fapesp). Através de um número padronizado de armadilhas Malaise e de Moericke, e varredura da vegetação foram obtidos 1241 exemplares separados em 115 morfoespécies e oito gêneros. Destes, Scorpioteleia é registrado pela primeira vez na região neotropical e sete (Aclista, Belyta, Cinetus, Odontopsilus, Scorpioteleia, Lyteba e Camptopsilus) são registrados pela primeira vez no Brasil. Foram feitos mapeamentos e diagnoses para todas as morfoespécies e gêneros; as morfoespécies foram todas ilustradas com pelo menos duas fotos. A maior parte das morfoespécies (86) está presente em apenas uma ou duas localidades. Nota-se uma tendência das localidades nas maiores latitudes de apresentarem riquezas de morfoespécies e gêneros significativamente maiores que as das localidades em latitudes menores, mesmo que estas apresentem quantidades de indivíduos significativamente maiores que as daquelas. Os resultados da análise da distribuição dos Belytinae indicam uma quantidade de morfoespécies exclusivas do sul do bioma (6 ou 8) ligeiramente maior que as exclusivas do norte (2), apesar das diferenças serem pouco significativas. A análise de similaridade indicou que a proximidade geográfica parece ser importante condicionante para o padrão de distribuição da fauna na maioria das localidades; os três agrupamentos principais formados nos dendogramas de índices de Sørensen e Jaccard sugerem a presença de dois sub-biomas (Sul + Sudeste e Nordeste). Indícios obtidos a partir das análises e dos dados do presente estudo combinados com informações da literatura ou de pesquisadores sobre a biologia, ecologia e distribuição da riqueza dos Belytinae, seus hospedeiros e fungos do solo, tornam plausível a ideia de que os Belytinae tenham a riqueza de espécies aumentada com o aumento da latitude, contrariamente ao padrão mais comum para a maioria dos grupos animais. The main objectives of this work were to describe the distribution of Hymenoptera parasitoids Diapriidae Belytinae richness along a latitudinal gradient of Atlantic Forest and to explain the reasons for the pattern of richness found, by comparison with patterns described for other groups. The Belytinae play a key role in the natural regulation of populations of many species of Mycetophilidae and Sciaridae (Diptera) and the knowledge about the diversity of this subfamily in the Atlantic Forest biome is relatively poor. The material used in this study comes from collections in 18 regularly spaced locations, from Paraiba to Santa Catarina, between the years of 2000 and 2002, under the project \"Richness and Diversity of Hymenoptera and Isoptera along a latitudinal gradient in the Atlantic forest - the Eastern Brazilian Rain Forest\" (Biota/SP - FAPESP). Using a standardized number of Malaise and Moericke traps, and sweeping the vegetation a total of 1241 specimens separated in 115 morphospecies and eight genera were obtained. Of these, Scorpioteleia is recorded for the first time in the neotropical region and seven genera (Aclista, Belyta, Cinetus, Odontopsilus, Scorpioteleia, Lyteba and Camptopsilus) are recorded for the first time in Brazil. Mappings and diagnoses were made for all morphospecies and genera; all morphospecies were illustrated with at least two pictures. There is a tendency of localities in the highest latitudes to present similar or significantly greater richness of morphospecies and genera than those of localities in lowest latitudes, even if these present quantities of individuals significantly higher than the latter. The results of the analysis of the distribution of Belytinae indicate a quantity of exclusive morphospecies of the southern biome (6 or 8) slightly higher than the exclusive northern (2), although these differences are not highly significant. Most morphospecies (86) are present in only one or two locations. The similarity analysis indicated that the geographical proximity appears to be important to define the pattern of distribution of fauna in most localities; the three main groups formed in dendograms with indices of Sorensen and Jaccard suggest the presence of two sub-biomes (South + East and Northeast). Evidences obtained with the data and analyzes of the present study combined with information deducted from or obtained through literature or researchers about the biology, ecology and distribution of the richness of Belytinae, their hosts and soil fungi, make plausible the idea that the Belytinae have the species richness increased with the increase of latitude, unlike the most common pattern displayed by most animal groups.
Share - Bookmark