Um estudo qualitativo sobre as representações utilizadas por professores e alunos para significar o uso da internet

Master thesis Portuguese OPEN
Fabiano Simões Corrêa (2013)
  • Publisher: Universidade de São Paulo
  • Subject: Cibercultura | Cyberculture | Hipertexto | Hypertext | Letramento Digital | Representações Sociais | Social Representation | Subjectivity. | Technology of Information | Tecnologia da Informação | Psicologia

Este estudo inscreve-se no contexto da cibercultura, entendida como um conjunto de técnicas (materiais e intelectuais), de práticas, de atitudes, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem articuladamente com o crescimento do ciberespaço. Entendemos que a subjetividade não é o campo em que os objetos são interpretados, mas sim o produto de movimentos interpessoais e de relações sociais mediadas pela linguagem. Sendo assim, colocamos o discurso no centro das investigações sobre os processos de subjetivação. Concordamos com Nicolaci-da-Costa quando postula que há um discurso da negatividade sobre a Internet, que foi alimentado pela grande mídia quando deu voz a pesquisadores que passaram a classificar o uso intensivo da Internet como vícios comparáveis àqueles causados por substâncias químicas. Concordamos também com Castells quando postula que as inovações tecnológicas da Internet promoveram mudanças significantes no modo de vida, com desdobramentos nos padrões de consumo, de interação social e de representação do mundo. Este estudo visa a analisar as representações utilizadas por professores e alunos para significar o uso das ferramentas da Internet, como o Google, Facebook, MSN, Orkut e outras. Trata-se de um estudo qualitativo que se fundamenta no método de análise das representações sociais, segundo Moscovici e Jovchelovitch. A pesquisa foi realizada em uma escola pública do ensino médio de Ribeirão Preto, SP. Enquanto procedimento: foram realizadas entrevistas individuais em profundidade com 18 alunos, com idade entre 15 e 18 anos e 10 professores. Os alunos foram escolhidos a partir de um questionário sobre a utilização da Internet, aplicado em 65 sujeitos, sendo que o critério de escolha foi a disposição em participar da pesquisa. Os professores foram selecionados aleatoriamente, dentre aqueles disponíveis. A análise das entrevistas foi realizada através da técnica da análise do conteúdo, sistematizada por Bardin, que permite classificar as práticas discursivas em unidades de significado e categorias de natureza temática, para assim se realizar uma análise estrutural e transversal dos discursos produzidos. O estudo visou a contribuir com reflexões que auxiliem as práticas pedagógicas e didáticas capazes de subsidiar políticas públicas de inclusão digital, em instituições públicas de ensino. Como resultados, podemos afirmar que os alunos atribuíram significados diversos à utilização das ferramentas da Internet, geralmente associados aos aspectos: a) cognitivo: aperfeiçoamento e execução de tarefas escolares; b) afetivo: relações de amizade em chats e redes sociais; c) erótico: captura de imagens e relacionamentos virtuais fugazes; d) entretenimento: jogos, informações, noticiário; e) inclusão social: sentimento de pertença a grupos ou \"tribos\". Já os professores revelaram o lugar paradoxal que se tornou o espaço escolar, que tem de um lado o discurso hegemônico de que a escola deveria se atualizar com a absorção das novas tecnologias da informação, mas que carece de investimentos concretos, e do outro, o discurso da \"negatividade da Internet\" que rotula a utilização de seus alunos como \"superficial\". This study is based on the cyberculture context, what can be understood as a group of techniques (technical and intellectuals), practices, behaviors, thoughts and values that are being developed along the growing of cyberspace. Subjectivity is not a field where things are perceived, but the result of social relations mediated by the language. In this sense, the speech takes the centre of the investigations about the process of subjectivity. We agree with Nicolaci-da-Costa when she says there is a negative discourse about the using of Internet which has been fed by researchers who had compared, on the spot of mass media, the intensive using of Internet to chemical dependence. We also agree with Castells who believes that the technology innovations brought by Internet have promoted significant changes to our ways of life, what brought consequences on the consume, social interaction and the ways that people represent the world. This study aims to analyze the means involved in the use of Internet tools, such as Google, Facebook, MSN, Orkut and others. This is a qualitative study, which is based on the analyze meth of social representations, according to Moscovici and Jovchelovitch. The research was placed in a Brazilian public school of Ribeirão Preto, São Paulo State. As procedures: individual interviews were done with 18 students, aged between 15 and 18 years old and 10 professors. The students were chosen from a questionnaire about the Internet using, which were applied in 65 teenagers and the criteria was their disposition in participate on the research. The professors were chosen randomly among the ones that were available. The interviews have been analyzed through the content analysis techniques developed by Bardin, which aloud the researcher to classify the speeches in units of significations and categories of issues, to then analyze the structure and the transversality of the speeches. This study aims to give contributions to build pedagogic practices able to support public politics of digital inclusion in public schools. As results, we can affirm that the individuals give different means to their using of internet tools, but they normally associate to the following aspects: a) cognitive: improvement and execution of their school activities; b) affective: friendship relations in chats and social medias; c) erotic: images capture and superficial virtual relationship; d) entertainment: games, information, news; e) social inclusion: rituals of group and tribes. Otherwise the group of professors revealed how the schools had became a contradictory place, affected by a predominant discourse that the Internet should be absorbed by its pedagogic practices, although there is not enough investments, and on the other side a discourse which condemns the utilization of its students as superficial.
Share - Bookmark