Avaliação ecotoxicológica de efluentes de celulose branqueada de eucalipto ao longo do tratamento biológico

Master thesis Portuguese OPEN
Martins, Daniel Von Rondon (2008)
  • Publisher: Universidade Federal de Viçosa
  • Subject: Ecotoxicidade | Efluente de celulose | Tratamento biológico | Eco-toxicity | Pulp mill effluents | Biological treatment | :ENGENHARIAS::ENGENHARIA SANITARIA::TRATAMENTO DE AGUAS DE ABASTECIMENTO E RESIDUARIAS::ESTUDOS E CARACTERIZACAO DE EFLUENTES INDUSTRIAIS [CNPQ]

O presente estudo teve como objetivo avaliar a toxicidade de efluentes de celulose branqueada de eucalipto. Inicialmente foi feita uma caracterização físicoquímica das amostras, em diferentes pontos ao longo do tratamento, e posteriormente para estes mesmos pontos foi avaliada a toxicidade com quatro organismos-teste: para toxicidade aguda: a) Vibrio fischeri (sistema Microtox®) e b) Daphnia similis; para toxicidade crônica: c) Ceriodaphnia dubia e d) Pseudokirchneriella subcapitata. Para a realização dos testes foi criado o laboratório de Ecotoxicidade da UFV, localizado atualmente na Divisão de Água e Esgoto da referida Universidade, onde foram padronizadas as condições para a execução dos testes com os organismos-teste citados anteriormente (letras b, c e d). Os resultados encontrados apontam para a ausência de toxicidade aguda para o efluente estudado. No que diz respeito à toxicidade crônica apenas para Ceriodaphnia dubia encontrou-se toxicidade quando se testou concentrações elevadas do efluente. O efluente tratado apresentou uma CE50 de 73,5% para o referido microcrustáceo e foram ainda observados efeitos na reprodução destes organismos expressos por um valor crônico (VC) de 71%. Entretanto, quando se considerou a diluição do efluente no corpo receptor calculada com base na resolução SMA-3/2000 da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, o efeito tóxico crônico para Ceriodaphnia dubia desaparece. Para a alga Pseudokirchneriella subcapitata os resultados mostraram um estímulo ao crescimento desta alga na presença do efluente, o que gera uma outra preocupação relativa à eutrofização do corpo hídrico estudado. In this work the toxicity of bleached eucalypt pulp mill effluents was assessed. First, a physical-chemical characterization of the samples was done at different points along the treatment. Then the samples were submitted to toxicity tests with four monitor organisms. For the acute toxicity assessment Vibrio fischeri (Microtox® system) and Daphnia similis were used, while the chronic toxicity test was performed with Ceriodaphnia dubia and Pseudokirchneriella subcapitata. The experiments were done on the Eco-toxicity Laboratory, created on the Water and Waste Division located on the UFV campus. Cultivation conditions were standardized and tests were developed for the organisms Daphnia similis, Ceriodaphnia dubia, and Pseudokirchneriella subcapitata. The results indicate that there is no acute toxicity in the effluent. On the other hand, chronic toxicity was detected when higher concentrations of the effluent were used in the assay with Ceriodaphnia dubia. The treated effluent presents a EC50 = 73,5% to the above crustacean and a negative reproductive effect was observed with a chronic value (CV) of 71%. However, when the dilution factor, which is calculated according to the resolution SMA-3/2000 of Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo , was considered on the water body, the chronic effect to Ceriodaphnia dubia was not significant. Finally, the treated effluent stimulated the growth of the green algae Pseudokirchneriella subcapitata raising the concern of water body eutrofization.
Share - Bookmark