Estudo sobre o trabalho do policial e suas implicações na saúde mental

Master thesis Portuguese OPEN
Joana Helena Rodrigues da Silva (2009)
  • Publisher: Universidade de São Paulo
  • Subject: Death and dying | Mental Health | Morte | Police | Polícia | Saúde mental | Sofrimento | Suffering | Violence | Violência | Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano

Sendo a violência e a preocupação com a segurança temas amplamente discutidos atualmente, seja por meio da imprensa ou de produção científica, a atuação profissional de policiais militares torna-se fator de preocupação e estudo, quer no âmbito da prevenção e repressão aos crimes, quer pelos desdobramentos que suas ações são capazes de provocar. Dentro deste contexto, de violência e risco, o presente estudo pretende traçar algumas considerações acerca da atuação do policial militar, que desempenha suas funções em ocorrências de alto risco, tendo como objetivo realizar um levantamento da produção científica com temática relacionada à atividade do policial militar, bem como verificar e detalhar a incidência de estudos cujo tema relaciona-se ao trabalho do policial como precipitador de sofrimento psíquico e implicações na saúde mental do trabalhador. A partir dos dados obtidos, foram feitas considerações a respeito do panorama geral das pesquisas que tem os policiais militares como sujeitos, bem como dos temas prevalecentes na produção científica nacional. Pôde-se constatar que, apesar do significativo aumento na produção científica nacional relacionada ao tema a partir do ano 2000, o que converge com a crescente preocupação a respeito da temática da violência como questão de saúde pública, quando se analisa a produção científica formal e acessível à comunidade acadêmica (em bases de dados comuns às pesquisas de nível universitário), os resultados ainda são diminutos se comparados à relevância do tema. Levanta-se como hipótese para tal fato a dificuldade em coletar dados qualitativos no âmbito policial, dadas as questões de hierarquia e protocolos pertinentes à organização da polícia como instituição, bem como certa resistência, calcada em estereótipos relativos à polícia como um todo, em enxergar o profissional de segurança pública como um cidadão, tão frágil e suscetível ao sofrimento quanto qualquer outro. Once subjects like violence and worry about security are widely discussed nowadays, either by the press or scientific production, the knowledge about the military policemen activity become a very important factor, in the scope of prevention and criminal repression, or by the implication that their actions can cause. Within this context, the current study intends to make some considerations about the policeman activity, who very often works in very dangerous situations, making a scientific production survey, emphasizing the public security professional\'s activity. The purpose of this study was to check the incidence of works whose subject has to do with the policeman profession as responsible for the psychic suffering, as well as the implication in the worker\'s mental health. From the data obtained, we made considerations regarding the general view of the researches that have the military policemen as subjects, as well as the predominant topics in the national scientific production. We noticed that, in spite of the meaningful increase in the scientific production related to the subject from the year 2000, which is in accordance to the increasing worry about the violence as a matter of public health, when we analyze the formal and accessible scientific production to the academic community (in common databases regarding the university researches), the results referring to the qualitative researches are still small if we compare them to the subject relevance. We discuss the institutional and emotional factors which can be established as complicators at the time we gather the qualitative data among policemen, as well as the difficulty to see the public security professional as a citizen, so weak and susceptible to the suffering as any other.
Share - Bookmark