Avaliação do consumo crônico de leite e kefir sobre os níveis pressóricos, parâmetros bioquímicos e renais de ratos SHR (Spontaneously Hypertensive Rats) induzidos à síndrome metabólica

Master thesis Portuguese OPEN
Gontijo, Luciana Nogueira (2014)
  • Publisher: Universidade Federal de Viçosa
  • Subject: Hipertensão | Leite fermentado - Consumo | Insuficiência renal | Hypertension | Fermented milk - Consumption | Renal failure | :CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO [CNPQ]

Objetivo: Avaliar a influência do consumo crônico de leite e kefir sobre os níveis pressóricos, parâmetros bioquímicos e renais de ratos machos SHR induzidos à SM. Metodologia: Inoculou-se 5 g de grãos de kefir em 100 mL de leite de vaca pasteurizado com diferentes teores de lipídeos (5,5 % e 3,5 %), a 4 oC. As amostras foram incubadas em estufa a temperatura controlada de 25 + 2 oC, por 24 horas. Nessas amostras foram determinadas a umidade, o teor de cinzas, proteínas, carboidratos, lipídeos totais, o pH e a acidez. A determinação do perfil de ácidos graxos foi realizada por cromatografia gasosa, após extração, saponificação e esterificação. A contagem de bactérias lácticas e leveduras totais foi feita pelo método de plaqueamento em superfície, a partir de diluições decimais sucessivas das amostras. Foram utilizados 35 ratos machos SHR. Do 2o ao 7o dia de vida, os filhotes foram submetidos ao protocolo de indução da SM. Injeções subcutâneas foram administradas na região cervical, na concentração de 4 mg MSG/g de peso corporal. Após 12 semanas, para confirmação da SM, os animais foram submetidos à avaliação da pressão arterial, glicemia de jejum e à pesagem. Posteriormente, os animais foram subdivididos em cinco grupos: Leite A (leite com 5,5 % de lipídeo), Kefir A (kefir de leite com 5,5 % de lipídeo), Leite B (leite com 3,5 % de lipídeo), Kefir B (kefir de leite com 3,5 % lipídeo) e grupo controle (MSG+Sal). Em seguida, os animais foram transferidos para gaiolas individuais, passando a receber a dieta comercial e kefir (1 mL/animal) via gavagem, diariamente, por 10 semanas. O ganho de peso corporal e a ingestão alimentar dos animais foram registrados semanalmente. Ao final do período experimental, os animais foram dessensibilizados com isofluorano e eutanasiados com tiopental. O sangue foi coletado por punção na artéria aorta abdominal, e os rins foram removidos para análises. Colesterol total, fração HDL-colesterol e triglicerídeos foram determinados por meio do método enzimático colorimétrico. Para análise bioquímica da função renal, foram determinadas as concentrações de ureia, creatinina, microalbuminúria, sódio e potássio. Foram determinadas as atividades das enzimas catalase (CAT), superóxido dismutase (SOD) e glutationa S-transferase (GSH) citosólica. Para análise histológica, os rins foram submetidos às etapas de fixação, desidratação, inclusão em parafina e, após a microtomia, corados com hematoxilina e eosina (HE). Resultados: A caracterização microbiológica do leite e do kefir evidenciou expressivo crescimento microbiano com o processo de fermentação: de aproximadamente cinco ciclos log para BAL e dois para leveduras. A umidade do Kefir A e do Kefir B foi maior do que a do Leite A ou Leite B. Com o processo de fermentação, houve redução dos teores de proteínas e lipídeos e elevação dos teores de ácido láctico, o que promoveu redução do pH do kefir. Observou-se redução de 17,5 % dos teores de carboidratos para o Kefir B e de apenas 2,3 % para o Kefir A. O perfil lipídico das amostras de leite e do kefir revelou a presença de 15 ácidos graxos. As amostras de kefir apresentaram níveis mais elevados para a maioria dos ácidos graxos (C8:0, C10:0, C12:0, C14:0, C16:0, C18:0, C18:1t, C18.1c &#969;9). As amostras de leite apresentaram maiores teores de ácidos graxos C20:2, C20:4, assim como os ácidos graxos essenciais linoleico (C18.2c &#969;6 Leite A) e &#945;-linolênico (C18.n3 &#969;3 Leite B). O consumo alimentar e o ganho de peso foram similares entre os grupos ao longo do período experimental. Contudo, o coeficiente de eficiência alimentar foi significativamente maior no grupo Kefir B (p<0,05). Ao final do período experimental, observou-se redução da PAS no grupo Leite B e elevação dos níveis de glicemia sanguínea nos grupos Leite A e Kefir A. Os níveis de colesterol total e HDL-colesterol apresentaram-se mais elevados no grupo controle (MSG+Sal). Os níveis de triglicerídeos, a concentração de creatinina plasmática e o clearance de creatinina não diferiram significativamente entre os grupos. A concentração de ureia plasmática foi maior no grupo Leite A e menor no grupo Leite B. Houve redução na concentração de microalbumina urinária nos grupos Leite A, Kefir A e Kefir B e aumento no grupo controle (MSG+Sal). A atividade da SOD foi maior nos grupos Leite B e Kefir B. O consumo de leite e kefir não influenciou significativamente a atividade da CAT. A excreção de Na+2 não diferiu entre o grupo controle e aqueles que consumiram leite e kefir, porém a excreção de K+ foi maior no grupo controle (MSG+Sal). Em relação à análise histológica dos rins, observou-se aumento significativo da área glomerular nos animais do grupo controle (MSG+Sal). Conclusão: O kefir apresentou características de um produto fermentado com potencial probiótico e considerando suas características nutricionais como baixo teor de lipídeos, controle da ingestão alimentar, ganho de peso e pressão arterial, e a não alteração nos parâmetros renais que evidenciasse quadro patológico, pode ser considerado um alimento adequado para o consumo, como parte de uma dieta saudável. Objective: To evaluate the influence of chronic consumption of milk and kefir on blood pressure levels, biochemical and renal parameters of Spontaneously Hypertensive Rats (SHR) induced the metabolic syndrome (SM). Methodology: 5 g of kefir grains were inoculated in 100 mL of pasteurized cow milk with different lipids content (5.5% and 3.5%), at 4 ° Samples were incubated at a C. controlled temperature of 25 ± 2 ° during 24 hours. In these samples were C, determined moisture, ash, protein, carbohydrates, total fat, pH and acidity. Fatty acid profile was determined by gas chromatography after extraction, saponification and esterification. The lactic acid bacteria count and total yeast was performed by surface plating method from successive decimal dilutions of samples. The assay was carried out with 35 SHR rats. Puppies of SHR male rats with two days of life underwent induction protocol of the MS. Subcutaneous injections, corresponding to a dose of 4 mg of monosodium glutamate (MSG) /g of body weight 2nd to 7th day of life. After weaning (30 days), the animals were kept in collective boxes (4 animals per cage), where now receive Nuvilab ® commercial feed and water ad libitum for a period of 12 weeks. After 12 weeks, to confirm the SM, the animals were evaluated for blood pressure, fasting glucose and weighing. Subsequently the animals were divided into 5 groups: Milk A (milk with 5.5% lipid), Kefir A (milk kefir with 5.5% lipid), Milk B (milk with 3.5% lipid), Kefir B (kefir milk with 3.5% lipid), control group (MSG + Sal). Subsequently the animals were transferred to individual cages starting to receive commercial diet and kefir (1 mL / animal) by gavage daily for 10 weeks. The body weight gain and food intake of the animals were recorded weekly. At the end of the experimental period the animals were desensitized with isoflurane and euthanized with thiopental. Blood was collected by puncturing the artery abdominal aorta and kidneys removed for analysis. Total cholesterol, HDL-cholesterol and triglycerides were determined by the enzymatic colorimetric method. Biochemical analysis of renal function were evaluated by concentrations of urea, creatinine, microalbuminuria, sodium and potassium. Enzymes catalase (CAT), superoxide dismutase (SOD) and cytosolic activities of glutathione S-transferase (GSH) were determined. For histological analysis, kidneys were subjected to the steps of fixation, dehydration, paraffin embedding, and after a microtome, stained with hematoxylin and eosin (HE). Results: Microbiological characterization of milk and kefir showed significant microbial growth in the fermentation process of approximately 5 log cycles for BAL and 2 for yeasts. The humidity of Kefir A and Kefir B was higher than that of Milk A or Milk B. The protein and lipids decreased with the fermentation process, and the levels of lactic acid elevated, which promoted pH decrease kefir. There was a reduction of 17.5% of the levels of carbohydrates for Kefir B and only 2.3% for Kefir A. The lipid profile of the samples of milk and kefir revealed the presence of 15 fatty acids. Kefir samples had higher for most fatty acids (C8: 0, C10: 0, C12: 0, C14: 0, C16: 0, C18: 0, C18: 1T, C18.1c &#969;9). The milk samples showed higher levels of C20:2, C20:4 fatty acids, as well as the essential fatty acids linoleic (&#969;6 C18.2c Milk A) and &#945;-linolenic acid (&#969;3 C18.n3 Milk B). Food intake and weight gain were similar between groups throughout the experimental period. However, the coefficient of feed efficiency was significantly higher in group Kefir B (p <0.05). At the end of the experimental period, there was a reduction in SBP in group Milk B and elevated levels of blood glucose in groups Milk A and Kefir A. The levels of total cholesterol and HDL were higher in the control group (MSG + Sal). Triglyceride levels, serum creatinine concentration and creatinine clearance did not differ significantly between groups. The concentration of plasma urea was higher in group Milk A and lower in group Milk B. There was a reduction in the concentration of urinary microalbumin in groups Milk A, Kefir A and Kefir B and increased in the control group (MSG + Sal). The consumption of kefir increased SOD activity in groups Milk B and Kefir B, but did not influence significantly the activity of CAT. The excretion of Na did not differ between the control group and those who consumed milk and kefir, but the excretion of K + was higher in the control group (MSG + Sal). Regarding the histological analysis of the kidneys, there was significant increase in glomerular area in the control group (MSG + Sal). Conclusion: The kefir has characteristics of a product fermented with probiotic potential considering its nutritional characteristics, such as low-fat, control of food intake, and body weight and blood pressure. No change in renal parameters was observed. Kefir can be considered an appropriate food for consumption as part of a healthy diet.
Share - Bookmark