Estresse e acidentes de trabalho: Estudo Pró-Saúde

Doctoral thesis Portuguese OPEN
Alexandre dos Santos Brito (2007)
  • Publisher: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Subject: Acidentes de trabalho | Estresse psicossocial | Ambiente de trabalho | Modelos multiníveis | Saúde ocupacional | EPIDEMIOLOGIA | Accidents at work | Psychosocial stress | Working places | Multilevel models | Occupational health

Esta tese tem o objetivo geral de investigar a associação entre estresse e acidentes no trabalho em funcionários técnico-administrativos efetivos de uma universidade pública no Rio de Janeiro por meio de modelos multiníveis. Para alcançar tal objetivo, a tese foi distribuída em dois artigos. O primeiro artigo investiga a associação entre estresse e acidentes no trabalho considerando componentes hierárquicos da estrutura dos dados por meio de modelos multiníveis com funcionários no primeiro nível agrupados em setores de trabalho no segundo nível. O segundo artigo investiga o comportamento dos coeficientes fixos e aleatórios dos modelos multiníveis com classificação cruzada entre setores de trabalho e grupos ocupacionais em relação aos modelos multiníveis que consideram apenas componentes hierárquicos dos setores de trabalho, ignorando o ajuste dos grupos ocupacionais. O estresse psicossocial no trabalho foi abordado a partir das relações entre alta demanda psicológica e baixo controle do processo laboral, Estas dimensões foram captadas por meio da versão resumida da escala Karasek, que também contém informações sobre o apoio social no trabalho. Dimensões isoladas do estresse no trabalho (demanda e controle), razão entre demanda psicológica e controle do trabalho (Razão D/C) e o apoio social no trabalho foram mensurados no nível individual e nos setores de trabalho. De modo geral, os resultados destacam a demanda psicológica mensurada no nível individual como um importante fator associado à ocorrência de acidentes de trabalho. O apoio social no trabalho, mensurado no nível individual e no setor de trabalho, apresentou associação inversa à prevalência de acidentes de trabalho, sendo, no setor, acentuada entre as mulheres. Os resultados também mostram que os parâmetros fixos dos modelos com e sem classificação cruzada foram semelhantes e que, de modo geral, os erros padrões (EP) foram um pouco maiores nos modelos com classificação cruzada, apesar deste comportamento do EP não ter sido observado quando relacionado aos coeficientes fixos das variáveis agregadas no setor de trabalho. A maior distinção entre as duas abordagens foi observada em relação aos coeficientes aleatórios relacionados aos setores de trabalho, que alteraram substancialmente após ajustar o efeito da ocupação por meio dos modelos com classificação cruzada. Este estudo reforça a importância de características psicossociais na ocorrência de acidentes de trabalho e contribui para o conhecimento dessas relações a partir de abordagens analíticas que refinam a captação da estrutura de dependência dos indivíduos em seu ambiente de trabalho. Sugere-se a realização de outros estudos com metodologia similar, que permitam aprofundar o conhecimento sobre estresse e acidentes no trabalho. This thesis has the general aim of investigating the association between stress and accidents at work with public employees at a public university in Rio de Janeiro, by means of multilevel models. To reach this goal, this study has been distributed into two articles. The first one investigates the association between stress and accidents at work taking into consideration hierarchic components in the data structure by means of multilevel models with employees in the first level grouped in working areas in the second level. The second article investigates the behavior of random and fixed coefficients of the multilevel models with cross classification between working areas and occupational groups in relation to the multilevel models which only take into consideration hierarchic components of the working areas, ignoring the adjustment of occupational groups. The psychosocial stress at work was approached from the relation between high psychological demand and low labor process control. These dimensions were taken by means of the summarized version of the Karasek scale, which also contains information about the social support at work. Isolated dimensions of work stress (demand and control), the ratio between psychological demand and work control (ratio D/C) and the social support at work were measured at individual level and at working areas. Generally speaking, the results highlighted the psychological demand measured at individual level with a major aspect associated to accidents occurrence at work. The social support at work, measured at individual level and in the working area, presented inverted association to the prevalence of accidents at work, that association being more present among women. The results also show that the fixed parameters of the models with and without cross classification were similar and that, in general, the stander errors (SE) were a little bigger in the models with cross classification, although this behavior of the SE hasnt been observed when related to the fixed coefficient of the variable measured at working area. The major distinction between the two approaches was observed in relation to random coefficients related to the working areas, which were highly altered after adjusting the effect of the occupation by means of models with cross classification. This thesis reinforces the importance of psychosocial characteristics in the occurrence of accidents at work and contributes to the knowledge of these relations from analytical approaches which refine the gathering of the dependence structure of individuals in their working place. Its suggested that other studies with similar methodologies are made, that would allow us to go deep in the knowledge of stress and accidents at work.
Share - Bookmark