Padrões de diversidade de insetos galhadores no Cerrado: a importância da comunidade de plantas

Master thesis Portuguese OPEN
ARAÚJO, Walter Santos de (2011)
  • Publisher: Universidade Federal de Goiás
  • Subject: Insetos galhadores | plantas hospedeiras | Cerrado | Galling insects | host plants | :CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA [CNPQ]

A ideia de que plantas hospedeiras influenciam na riqueza de insetos galhadores é bastante difundida e tem diversas abordagens na literatura. Algumas dessas abordagens levam em conta a riqueza de hospedeiras, a densidade da vegetação, a composição de espécies vegetais e a arquitetura das plantas, como fatores que influenciam nos padrões de diversidade dos galhadores. Nesse trabalho investigamos a importância da estrutura, riqueza e composição da comunidade de plantas para a distribuição de insetos galhadores. Inventários sobre a diversidade de morfotipos de galhas e plantas hospedeiras foram realizados em várias áreas do Cerrado brasileiro, nos estados do Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais e Tocantins. Ao todo foram amostradas 1882 plantas pertencentes a 131 espécies e 43 famílias vegetais, sendo que 64 espécies (48,8%) e 31 famílias (72,1%) hospedaram insetos galhadores. Registramos 112 espécies de insetos galhadores que ocorreram principalmente em Vochysiaceae (com 19 espécies), seguida de Fabaceae e Malpighiaceae (com 13 e 12 espécies, respectivamente). Foram registrados cinco gêneros e 13 espécies de plantas, consideradas como super-hospedeiras de insetos galhadores. Esses taxa abrigaram juntos 45 morfotipos de galhas, o que representa 40% da diversidade total amostrada. O gênero Qualea (Vochysiaceae) abrigou sozinho 18 morfotipos de galhas. No nível específico Qualea parviflora foi a espécie com maior riqueza de galhas (oito tipos). Ao nível estrutural, a hipótese da cobertura vegetal foi o melhor preditor da riqueza de galhadores, explicando 45%. Também encontramos resultados que mostram que fatores como a densidade e a arquitetura das plantas influenciam positivamente a diversidade de insetos galhadores. A riqueza de espécies de plantas e a composição da comunidade vegetal também foram importantes para a distribuição dos insetos galhadores. Por exemplo, locais onde os taxa super-hospedeiros estavam presentes tiveram duas vezes mais galhas do que onde estavam ausentes. Nossos resultados apontam que tanto a estrutura quanto a riqueza e composição da flora podem ter influências na diversidade de insetos galhadores. Desse modo, os resultados obtidos proporcionam uma ampliação dos conhecimentos da diversidade de insetos galhadores, sob o ponto de vista botânico. The idea that host plants influence the richness of galling is widespread and has several approaches in literature. Many of these approaches take into account the hosts richness, the density of vegetation, plant species composition and architecture of plants, as factors that influence the diversity patterns of gall-inducing insects. In this study we investigated the importance of structure, richness and community composition of plants to the distribution of galling. Inventories on the diversity of gall morphotypes and host plants were conducted in various areas of the Brazilian Cerrado, in the states of Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais and Tocantins. Altogether we sampled 1882 plants belonging to 131 species and 43 plant families, among which 64 species (48.8%) and 31 families (72.1%) had galling. We recorded 112 species of galling that occurred mainly in Vochysiaceae (with 19 species), followed by Fabaceae and Malpighiaceae (with 13 and 12 species respectively). Were recorded five genera and 13 species of plants, considered as a super-host of galling. These taxa housed together 45 morphotypes of gall, which represents 40% of the total diversity sampled. The genus Qualea (Vochysiaceae) alone sheltered 18 morphotypes of gall. No specific level Qualea parviflora was the species with the greatest richness of gall (eight types). At the structural level, the vegetal cover hypothesis was the best predictor of the richness of galling, explaining 45%. We also find results which show that factors such as the density and architecture of plants positively influenced the diversity of galling. The richness of plant species and plant community composition were also important for the distribution of galling. For example, where the super-host taxa were present occurred two times more galls than where they were absent. Our results indicate that both the structure and the richness and composition of the flora influenced the diversity of galling. Thus, the results provide an expanding knowledge of the diversity of gallinducing insects, under the botanical point of view.
Share - Bookmark