publication . Master thesis . 2010

A influência da intensidade e da energia da chuva, natural e artificial, sobre a erosão do solo por salpicos

Marques, Renata Liliana da Costa;
Open Access Portuguese
  • Published: 01 Jan 2010
  • Publisher: Universidade de Aveiro
  • Country: Portugal
Abstract
Mestrado em Energia e Gestao do Ambiente O presente trabalho propõe-se relacionar a energia associada à chuva com a erosão do solo por salpicos em áreas recentes ardidas. Com esta finalidade, foi realizado um trabalho experimental, no qual se estudou a relação entre as características da chuva, como precipitação acumulada e energia, com as quantidades de solo movido por salpicos de terrenos florestais, recentemente ardidos e terraçados, situados no concelho de Sever do Vouga, no centro de Portugal. Efectuou-se uma monitorização, aproximadamente semanal, entre Setembro de 2007 a Maio de 2008 de dois tipos de dispositivos de recolha do solo. Estes dispositivos for...
Subjects
free text keywords: Gestão do ambiente, Erosão do solo
Related Organizations
Funded by
FCT| PTDC/AGR-CFL/70968/2006
Project
PTDC/AGR-CFL/70968/2006
EROSFIRE II - A GIS-tool for slope-to-catchment-scale soil conservation management following forest wildfires
  • Funder: Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P. (FCT)
  • Project Code: 70968
  • Funding stream: 5876-PPCDTI
,
FCT| POCI/AGR/60354/2004
Project
POCI/AGR/60354/2004
EROSFIRE - A model-based, decision-support tool for soil erosion hazard assessment following forest wildfires
  • Funder: Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P. (FCT)
  • Project Code: 60354
  • Funding stream: POCI

4.1. QUANTIDADES TOTAIS DE SOLO MOVIDO POR SALPICOS ....................................................................... 17 4.2. RELAÇÃO COM PROPRIEDADES FÍSICAS DO SOLO .................................................................................. 20 4.3. VARIAÇÃO TEMPORAL .......................................................................................................................... 24 4.4. DIFERENÇAS NAS QUANTIDADES DE SOLO SALPICADO ENTRE OS DOIS DISPOSITIVOS ........................... 27 4.5. RELAÇÃO ENTRE EROSÃO POR SALPICOS E AS CARACTERÍSTICAS DA PRECIPITAÇÃO ............................ 31 CAPÍTULO 5 - CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS............................................................. 39

Powered by OpenAIRE Open Research Graph
Any information missing or wrong?Report an Issue