Protocolos de actuação no controlo do risco associado à infecção cruzada em medicina dentária - um estudo observacional

Master thesis Portuguese OPEN
Marques, Inês Afonso Mendonça (2013)
  • Subject: Cross infection and Dentistry | Infecção cruzada em Medicina Dentária | “Protocolos de actuação | :Ciências Médicas::Ciências da Saúde [Domínio/Área Científica] | Preventive measures in control infection | Medidas de Prevenção | Action protocols

Introdução: Diversos estudos comprovam a existência de um potencial risco de infecção cruzada na prática da Medicina Dentária, uma vez que inúmeras infecções podem ser transmitidas através do contacto directo ou indirecto com sangue e/ou saliva, de salpicos, de aerossóis e de instrumentos ou equipamentos contaminados. (1) Objectivos: Os principais objectivos deste estudo visaram alargar o conhecimento na área da prevenção da infecção cruzada em Medicina Dentária e avaliar o nível de interesse e conhecimento dos profissionais de saúde oral sobre esta temática em particular. Materiais e métodos: O estudo consistiu na distribuição de um questionário de auto resposta fechada, que foi elaborado com base nas fontes bibliográficas consultadas, composto por vinte e quatro questões. O questionário foi aplicado a uma amostra de 123 indivíduos, dos quais 98% eram médicos-dentistas. A média de idades dos inquiridos era cerca de 29,62 anos, sendo que 30,9% provinham do distrito de Viseu. Resultados: após ter-se efectuado a análise estatística dos dados recolhidos, foi possível perceber que uma grande parte da amostra tinha um elevado domínio sobre determinados parâmetros específicos, como os métodos de protecção individual, a importância da lavagem frequente das mãos e o manuseamento e limpeza do instrumental rotatório. Contudo, registou-se um número significativo de respostas incorrectas e desconhecimento na avaliação de outros factores, entre os quais a composição e o modo de actuação dos desinfectantes de instrumentos/ superfícies, usados rotineiramente na prática clínica. Conclusões: Uma grande percentagem dos inquiridos (89%) revelou interesse em participar em formações contínuas futuras que abordem esta temática.Relativamente ao tipo de iniciativas preferidas, destacam-se os cursos de demonstração clinica, as apresentações por meios audiovisuais e as conferências com especialistas na matéria. Introduction: Many research has shown that infective hazards are present in dental practice, because many infections can be transmitted by blood or saliva through direct or indirect contact, droplets, aerosols, or contaminated instruments and equipment.(1) Aims: the main aim of the study was to enhance the knowledge about infection control procedures and guidelines and evaluate the interest of dental practitioners in this specific subject. Materials and methods: A questionnaire with twenty four questions was delivered to a sample of 123 individuals, 98% of them were dentists. The average age of the individuals was around twenty nine years old and 30,9% came from the district of Viseu. Results: After doing statistical analysis of data, the results indicate that in some specific areas involving infection control recommendations, such as methods to individual protection, the importance of hand washing and cleaning of rotatory instrumental, a great number of individuals showed a good knowledge. However, in other points related to composition and action of surface disinfectants, the answers given by the sample showed lower knowledge. Conclusions: The majority of respondents (89%) are interested on future initiatives about this area. The educational initiatives who had a bigger number of responses were clinical courses, audiovisual presentations and conferences given by specialists.
  • References (63)
    63 references, page 1 of 7

    2. Molinari JA., Harte JA. Cottone´s practical infection control in dentistry. third edition ed: Lippincott Williams & Wilkins; 2010.

    3. Pankhurst CL, Coulter, W. A. Basic guide to infection prevention and control in dentistry. Wiley- Blackwell; 2009.

    4. New Zealand Dental Association. Code of Practice- Control of Cross-Infection in Dental Practice (COP). 2007.

    5. Australian Dental Association. Guidelines for Infection Control, second edition. 2012.

    6. Porter S., El-Maaytah M., Afonso W., Scully C., Leung T. Cross-infection compliance of UK dental staff and students. Oral Diseases. 1995;1(4):198-200.

    7. Lange P., Savage N.W., Walsh, L. J. Utilization of personal protective equipment in general dental practice. Australian Dental Journal. 1996;41(3):164-8.

    8. Correia R., Infecção cruzada em Medicina Dentária: Teorias e práticas para redução do risco da transmissão: Monografia na Universidade Fernando Pessoa- Faculdade de Ciências da Saúde; 2009.

    9. Richmond J.A., Dunning T.L., Desmond P.V. Health Professionals' Attitudes toward Caring for People with Hepatitis C. Journal Viral Hepat. 2007;14(9):624-32.

    10. Batool A., Sherwani M., Bano K., Aasim M. Knowledge, Attitude and Practices of Dentists about Hepatitis B and C Infection in Lahore. Pakistan Journal of Medical Research. 2012;51(3).

    11. Centers for Disease Control and Prevention. Guidelines for infection control in dental health-care settings. Morb Mortal Weekly Report 2003;52(RR-17).

  • Similar Research Results (2)
  • Metrics
    0
    views in OpenAIRE
    50
    views in local repository
    99
    downloads in local repository

    The information is available from the following content providers:

    From Number Of Views Number Of Downloads
    Repositório Institucional da Universidade Católica Portuguesa 50 99
Share - Bookmark