Ideação suicida nos estudantes universitários

Master thesis Portuguese OPEN
Gomes, Filipa Joana Barreto (2008)
  • Subject: Social support | University students | Depressão | Suicidal ideation | Suporte social | Estudantes universitários | :Ciências Sociais::Psicologia [Domínio/Área Científica] | Depression | Ideação suicida

Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário Este estudo tem como objectivo verificar se os jovens universitários do primeiro ano do ensino superior, afastados do seu meio familiar e da sua terra de origem terão uma maior sintomatologia depressiva, terão menor satisfação com o suporte social e mais pensamentos suicidas do que os não afastados. Pretendemos ainda averiguar se a insatisfação com o suporte social provoca maior sintomatologia depressiva e maior ideação suicida. A amostra foi seleccionada por conveniência, num total de 147 participantes, é constituída por estudantes de ambos os sexos, predominando o sexo feminino (67.3 %), com idades compreendidas entre os 18 e os 21 anos, com uma média de 19 anos, a frequentar o 1º ano de uma universidade da cidade de Lisboa. Nesta amostra, 50.4 % dos estudantes provêm de Lisboa, 68.7 % possuem família nesta cidade. Verificou-se pois, que 45.6 % dos estudantes são provenientes de outras cidades e que 31.3 % referem não ter família em Lisboa. Foram utilizados como instrumentos de medida, a Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS) (Ribeiro, 1999), o Inventário de Depressão de Beck (BDI), traduzido e adaptado por Cláudio (1990), e o Questionário de Ideação Suicida (QIS), traduzido e adaptado por Ferreira e Castela (1999). Através da aplicação do teste t-student, verificaram-se diferenças estatisticamente significativas (t (91, 722) = 2.219; p = .029), de sintomatologia depressiva entre o grupo de sujeitos afastados da sua terra de origem e o grupo que reside em Lisboa. Assim concluiuse que os jovens universitários afastados do seu meio familiar e da sua terra de origem possuem maior sintomatologia depressiva. Na satisfação com o suporte social, também existem diferenças estatisticamente significativas (t (145) = -4.286; p < .0001), entre o grupo de sujeitos afastados da sua terra de origem e os que residem em Lisboa. Assim, concluiu-se que os jovens universitários afastados do seu meio familiar e da sua terra de origem apresentam menor satisfação com o suporte social. Relativamente às dimensões ou subescalas da ESSS, pode verificar-se a existência de diferenças estatisticamente significativas na satisfação com os amigos (t (145) = -4.138; p < .0001), com a intimidade (t (145) = -3.518; p < .0001) e com a família (t (145) = -3.659; p < .0001). Quanto à ideação suicida, a análise do teste t-student revelou não existirem diferenças estatisticamente significativas entre as médias dos dois grupos (t (145) = -568; p = .571). Assim sendo, o facto de os estudantes estarem afastados do seu meio familiar e da sua terra de origem não determina a presença de mais pensamentos suicidas quando comparados com aqueles que não tiveram de se deslocar. Através da correlação r de Pearson, observou-se que quanto maior a insatisfação com o suporte social, maiores são os níveis de sintomatologia depressiva (r = -.449; p < .0001) e os resultados revelaram ainda que quanto maior a insatisfação com o suporte social, maiores são os níveis de ideação suicida (r = -.282; p < .0001) e que quanto maior é o nível de sintomatologia depressiva, maior é a ideação suicida (r = -.338; p < .0001). The goal of this study is to verify if first year university students, who are away from their family environment and their hometown, will have more depressive symptoms, less satisfaction with social support and more suicidal ideations compared to those students who are not away from home. This study will also verify if dissatisfaction with social support causes an increase in the depressive symptoms and in the suicidal ideations. The study group selected has a total of 147 people. It consists of students from both sexes, predominantly of the female sex (67.3 %), with ages between 18 and 21, with an average age of 19 and a standard deviation of one year, attending the first year of university in the city of Lisbon during 2007/2008. In this case, 50.4 % of the students come from Lisbon, 68.7% have their families in this city. It was concluded that 45.6 % of the students are from other cities and that 31.3% referred to not having family in Lisbon. The materials used were, Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS) (Ribeiro, 1999), Beck Depression Inventory (BDI), translated and adapted by Cláudio (1990) and Questionário de Ideação Suicida (QIS), translated and adapted by Ferreira e Castela (1999). With the application of the t-student test, significant statistical differences were found (t (91, 722) = 2.219; p = .029), in depressive symptoms between the group with the students away from home and the group with the students that live in Lisbon. Thus it is concluded that the university students who live away from their families and hometown have more depressive symptoms. There are significant statistical differences with the satisfaction of the social support, (t (145) = 4.286; p < .0001), between the group of students away from home and the group that live in Lisbon. It was concluded that the university students who do not live with their families and are far from their hometowns present a lower satisfaction with social support. For the dimensions or subscales of ESSS, can be noted that there are statistically significant differences in satisfaction with friends (t (145) = -4.138; p < .0001), in the intimacy (t (145) = -3.518; p < .0001) and satisfaction with the family (t (145) = -3.659; p < .0001). According to the suicidal ideation, the analysis of the t-student test revealed that there are no significant statistical differences between the mean of the two groups (t (145) = - 568; p = .571). The fact that the students are away from their family environment and their hometown does not determine more suicidal ideation when compared to the students who did not have to leave home to study. Using the correlation r of Pearson, it was observed that greater the dissatisfaction with social support, the greater the levels of depressive symptoms (r = -.449; p < .0001), the results also revealed that the greater the dissatisfaction with social support, the greater the levels of suicidal ideation (r = -.282; p < .0001) and the greater the level of depressive symptoms, the greater the suicidal ideation (r = -.338; p < .0001).
  • References (1)

    5.2 - Instrumentos de Medida ................................................................................................... 30 5.2.1 - Inventário de Depressão de Beck .......................................................................................................... 31 5.2.2 - Escala de Satisfação com o Suporte Social ........................................................................................... 32 5.2.3 - Questionário de Ideação Suicida ........................................................................................................... 35 5.3 - Procedimento estatístico................................................................................................... 36

  • Metrics
    0
    views in OpenAIRE
    167
    views in local repository
    77
    downloads in local repository

    The information is available from the following content providers:

    From Number Of Views Number Of Downloads
    Repositório do ISPA 167 77
Share - Bookmark