publication . Master thesis . 2014

Relatório de estágio : Centro de Neurodesenvolvimento do Hospital Beatriz Ângelo.

Sesinando, Ana Sofia Quintãs;
Open Access Portuguese
  • Published: 01 Jan 2014
  • Country: Portugal
Abstract
Mestrado em Reabilitação Psicomotora O presente relatório enquadra-se no âmbito do estágio que teve lugar no Centro de Neurodesenvolvimento do Hospital Beatriz Ângelo e reflete o trabalho desenvolvido ao nível da intervenção psicomotora, essencialmente, com crianças com Dificuldades de Aprendizagem, Mutismo Seletivo e crianças com falta de estimulação, que por isso poderiam beneficiar com a Intervenção Precoce. Este relatório, para além do enquadramento da prática profissional, que engloba a revisão bibliográfica e a caracterização da instituição de estágio, apresenta um estudo-caso, na área das Dificuldades de Aprendizagem. O estudo-caso contempla as avaliações...
Subjects
free text keywords: Centro de Neurodesenvolvimento, Dificuldades de aprendizagem, Intervenção precoce, Intervenção psicomotora, Mutismo seletivo, Plano de intervenção psicomotora
Related Organizations
Download from
UTL Repository
Master thesis . 2014
35 references, page 1 of 3

4. Intervenção Precoce (IP)....................................................................................25 4.1. Enquadramento Legal..........................................................................27 4.5. Intervenção Psicomotora e IP..............................................................31

5. Enquadramento institucional - Centro de Neurodesenvolvimento (CND).........31 5.3. Funcionamento, instalações e acessibilidade......................................34 5.4. Articulação do CND com a família e a comunidade............................35 5.5. Intervenção Psicomotora no CND.......................................................36 2.1. Crianças acompanhadas.....................................................................38

3. Objectivos e Atividades de estágio....................................................................40 3.2. Relação com outros profissionais, família e escola.............................42

4. Planeamento da intervenção..............................................................................43 4.1. Contextos de intervenção....................................................................43 4.2.1. Modelos e Instrumentos de avaliação utilizados...................45 4.2.1.1. Observação informal .............................................45 4.2.1.3. Escala de Desenvolvimento Mental de Griffiths.....46 4.2.1.4. Avaliação Psicopedagógica....................................46

5. Processo de Intervenção - Estudo de Caso......................................................47 5.2. Instrumentos e condições de avaliação...............................................49 5.3. Resultados da avaliação inicial............................................................49 5.4. Planeamento da intervenção...............................................................52 5.4.1. Plano de intervenção............................................................52 5.4.2. Intervenção e Estratégias de intervenção.............................57 5.4.3. Exemplo de planeamento de sessão....................................58 5.4.4. Exemplo de relatório de sessão............................................60 5.5. Resultados da intervenção..................................................................61 5.5.1. Recomendações para a continuidade da intervenção..........62

6. Dificuldades e Limitações...................................................................................62

7. Atividades complementares de Formação.........................................................63 7.1. Conferências e Formações..................................................................63 7.2. Atividades no local de Estágio.............................................................64 7.3. Reuniões de Apoio ao Estágio.............................................................65 ÍNDICE DE TABELAS Tabela 1 - Horário de Estágio...........................................................................................37 Tabela 2 - Crianças Acompanhadas................................................................................38 Tabela 3 - Avaliação prévia das Crianças Acompanhadas..............................................41 Tabela 4 - Resultados obtidos na Escala de Desenvolvimento de Griffiths.....................51 Tabela 5 - Estratégias de intervenção..............................................................................57 Albano, A., Marten, P., Holt, C., Heimberg, R. & Barlow, D. (1995). Cognitive behavioral group treatment for social phobia in adolescents: a preliminary study. Journal of Nervous and Mental Diseases (183), pp. 649-656.

Aleixo, D. (2013). Famílias de Crianças com Necessidades Educativas Especiais e a Equipa de Intervenção Precoce: Que relação?. Tese de Mestrado. Porto. [OpenAIRE]

Almeida, I. C. (2004). Intervenção Precoce: focada na criança ou centrada na família e na comunidade?. Análise Psicológica (1), pp. 65-72.

American Psychiatric Association (2006). Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais - Texto Revisto (DSM-IV-TR). Lisboa: Climepsi Editores.

American Psychiatric Publishing (2013). Highlights of Changes from DSM-IV-TR to DSM5. Retirado em 14 de outubro de 2013 de http://www.dsm5.org/Documents/changes%20from%20dsm-iv-tr%20to%20dsm5.pdf

Anstending, K. (1999). Is Selective Mutism an anxiety disorder? Rethinking its DSM classification. Journal of Anxiety Disorders (13).

Assembleia Geral das Nações Unidas (1989). Convenção sobre os Direitos da Criança. Retirado em 23 de outubro de 2013 de http://www.unicef.pt/docs/pdf_publicacoes/convencao_direitos_crianca2004.pdf Bronfenbrenner, U. (1994). Ecological models of human development. International Encyclopedia of Education (3), pp. 37-43.

Brown, J. & Lloyd, H. (1975). A controlled study of children not speaking at school. Journal of Associated Workers of Maladjusted Children (3) , pp. 49-63.

Bruder, M. (2010). Early childhood intervention: A promise to children and families for their future. Exceptional Children (76), pp. 339-355.

35 references, page 1 of 3
Powered by OpenAIRE Research Graph
Any information missing or wrong?Report an Issue