publication . Master thesis . 2017

Bioacessibilidade in vitro das biotoxinas marinhas ácido ocadaico, dinofisistoxina-2 e seus derivados em bivalves crus e cozinhados

Manita, Diana Filipa Pereira;
Open Access Portuguese
  • Published: 17 Jan 2017
  • Publisher: Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Country: Portugal
Abstract
Dissertação de Mestrado em Segurança Alimentar As biotoxinas marinhas mais frequentes e abundantes em Portugal são as toxinas lipofílicas, nomeadamente as toxinas do grupo do ácido ocadaico (AO), que inclui as dinofisistoxinas (DTX1 e DTX2) e os seus derivados (DTX3), responsáveis pela intoxicação diarreica (DSP diarrhetic shellfish poisoning). A investigação da presença, variabilidade e transformação de biotoxinas marinhas em moluscos bivalves é de elevada importância não só para os consumidores e produtores de moluscos bivalves, mas também para as entidades reguladoras em segurança alimentar. Até à data, a quantidade de toxinas ingeridas nos alimentos tem sido...
Subjects
free text keywords: intoxicação diarreica por molusco, ácido ocadaico, dinofisistoxina- 2, esterificação, digestão humana, bioacessibilidade, Diarrhetic shellfish poisoning, okadaic acid, dinophysistoxin-2, esterification, human digestion, bioaccessibility
Related Organizations
22 references, page 1 of 2

Tabela 1- Critérios microbiológicos para classificação das zonas de produção de moluscos bivalves vivos de acordo com o Regulamento (CE) Nº854 do Parlamento Europeu e do Conselho de 29 de abril de 2004 ........................................................................................... 6 Tabela 2- Limites propostos pela UE para os metais tóxicos nos moluscos bivalves indicados nos regulamentos (CE) N.ºs 1881/2006 de 19/12 e 629/2008 de 2/7. .................... 6 Tabela 3 - Limite Regulamentar das várias biotoxinas marinhas (medidas no corpo inteiro ou em qualquer parte comestível separadamente), de acordo com os Regulamentos (CE) N.º 853/2004 de 29 de abril e Regulamento (UE) N.º 786/2013 de 16 de agosto................... 8 Tabela 4 − Características das biotoxinas mais comuns na Europa.. .................................. 10 Aune, T., Larsen, S., Aasen, J. A. B., Rehmann, N., Satake, M., & Hess, P. (2007). Relative toxicity of dinophysistoxin-2 (DTX-2) compared with okadaic acid, based on acute intraperitoneal toxicity in mice. Toxicon, 49 (1), pp. 1-7.

Blanco, J., Arévalo, F., Correa, J., Porro, M. C., Cabado, A. G., Vieites, J. M., & Moroño, A. (2015). Effect of the industrial steaming on the toxicity, estimated by LC-MS/MS, of mussels exposed for a long time to diarrhetic shellfish poisoning (DSP) toxins. Food Chemistry, 177, pp. 240-247.

Braga, A., Alves, R., Maulvault, A., Barbosa, V., Marques, A., & Costa, P. (2016). In vitro bioaccessibility of the marine biotoxin okadaic acid in shellfish. Food and Chemical Toxicology, 89, pp. 54-59.

Burri, S., & Vale, P. (2006). Contaminação de bivalves por DSP : risco de episódios de gastrenterites numa região de toxicidade endémica. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 24(1), pp. 115-124.

Cachola, R., & Campos, C. (2006). Redefinição das zonas de produção de bivalves nos sistemas lagunares do Algarve no âmbito do programa de monitorização microbiológica. Relatórios Científicos E Técnicos, Serie Digital, pp. 1-43.

Cardoso, C., Afonso, C., Lourenço, H., Costa, S., & Nunes, M. L. (2015). Bioaccessibility assessment methodologies and their consequences for the risk-benefit evaluation of food. Trends in Food Science & Technology, 41 (1), pp. 5-23.

Decreto-Lei 68/2012, de 20 de Março, Diário da República, N.o57- I Série. Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território Lisboa.

Moita, M., Palma, A., & Vilarinho, M. (2005). Blooms de Fitoplâncton na Costa Portuguesa. Instituto de Investigação Das Pescas E Do Mar, 31, pp. 1-5.

Moita, M. T., Pazos, Y., Rocha, C., Nolasco, R., & Oliveira, P. B. (2016). Toward predicting Dinophysis blooms off NW Iberia: A decade of events. Harmful Algae, 53, pp. 17-32.

Portaria n.o 27/2001, de 15 de Janeiro, Diário da Républica, nº 12 - II Série-B.Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas. Lisboa.

Regulamento (CE) N.o2074/2005 de 5 de Dezembro, Jornal Oficial da União Europeia L 338.

Regulamento (CE) No 853/2004 de 29 de Abril, Jornal Oficial da União Europeia L 139.

Regulamento (CE) N.o 854/2004 de 29 de Abril, Jornal Oficial da União Europeia L 226.

Vale, P., Botelho, M. J., Rodrigues, S. M., Gomes, S. S., & Sampayo, M. (2008). Two decades of marine biotoxin monitoring in bivalves from Portugal (1986-2006): A review of exposure assessment. Harmful Algae, 7 (1), pp. 11-25.

Vale, P., & Sampayo, M. A. (1999). Esters of okadaic acid and dinophysistoxin-2 in Portuguese bivalves related to human poisonings. Toxicon, 37 (8), pp. 1109-1121.

22 references, page 1 of 2
Any information missing or wrong?Report an Issue