Estrelas variáveis

Master thesis Portuguese OPEN
Viana, Sérgio Manuel de Oliveira (2001)
  • Publisher: Universidade do Porto. Reitoria

A observação do céu nocturno é uma prática que vem da Antiguidade. Desde então e durante muito tempo pensou-se que as estrelas mantinham o brilho constante. Assim foi até ao século XVI, quando David Fabricius observou uma estrela cujo brilho variava periodicamente. Dois séculos mais tarde, Jonh Goodricke descobriu uma segunda estrela e com o desenvolvimento de instrumentos de observação este conjunto foi muito alargado e hoje inclui o Sol.A variação do brilho das estrelas variáveis permite distinguir classes de estrelas variáveis, obter a distância das estrelas à Terra, ou conhecer melhor o seu interior.A importância deste estudo, para além do conhecimento do Universo advém também do conhecimento da estrela de que depende a vida na Terra - o Sol. Por tal, estão em vigor projectos de observação permanente do Sol e mais projectos vão ser implementados para as outras estrelas.
  • References (10)

    2.2- Curva de luz de uma variável Mira de longo período. H. kartunen, P. Kroger, H. Oja, M. Poutanen, K. Donner, Fundamental Astronomy

    2.3- A esquerda: dimensões de Betelgueuse. À direita: Betelgeuse faz parte da constelação Orion. Situa-se no canto superior da constelação Orion.

    2.4- Situação das estrelas pulsantes intrínsecas no diagrama de HertzprungRussel. Annu. Rev. Astrophyys., 5, 571, 1967.

    6.3- Relação período luminosidade das Cefeidas Clássicas. Figura de Sandage and Tammann, Apl. J., 151,531, 1968.

    11.11- Velocidade em função da frequência do modo-o. Um período de cinco minutos corresponde à frequência de 3,33 mHz. Grec, Fossat, Pomerantz, Nature, 288,541,1980

    11.12- Modo-p do Sol. As observações correspondem a pontos e a teoria a linhas. Libbrecht, Space Science Rev., 47, 275, 1988.

    12.1- Á esquerda, ondas geradas quando a fonte se move. O comprimento de onda torna-se mais curto, no sentido em que a onda se propaga, como se pode ver pelo esquema da figura da direita. Tipler P., Phisics for cientist and engineers, Worth Publishers, inc.

    13.1- Gráfico da magnitude da estrela variável em função da fase.BohmVitesse, Erik; "Introduction to Stellar Astrophysicas", VI III, Cambridge University Press.

    13.2- Fotografia estroboscópica do pêndulo gravítico em movimento. Sá, M3 Teresa, Física 12° ano, Texto Editora

    13.5- Gráfico da variação da velocidade, pressão e temperatura em pulsações adiabáticas. A pressão e temperatura atingem o máximo em raios menores. Em excessos de pressão, a estrela expande-se. Quando diminui a pressão diminui a estrela contrai-se. As unidades são arbitrárias. Bohm-Vitesse, Erik; "Introduction to Stellar Astrophysicas", VI III, Cambridge University Press.

  • Metrics
    No metrics available
Share - Bookmark