Padrões de inativação microbiana em hortelã-pimenta por radiação gama

Conference object Portuguese OPEN
Guerreiro, Duarte ; Antonio, Amilcar L. ; Ferreira, Isabel C.F.R. ; Santos, Pedro M.P. ; Falcão, António N. ; Margaça, Fernanda M.A. ; Cabo Verde, Sandra (2015)
  • Subject: Inativação microbiana | Irradiação de alimentos | Mentha x piperita

As plantas podem ter várias aplicações, especialmente como aditivos alimentares e na promoção da saúde, como ingredientes em formulações de alimentos funcionais e nutracêuticos. Contudo, um dos maiores problemas associados ao seu consumo e comercialização é a sua contaminação microbiana. Esta contaminação pode ocorrer ao longo da colheita, processamento e distribuição. Deste modo, torna-se necessário encontrar uma solução viável para a conservação de plantas comestíveis ou medicinais e que cumpra as normas de segurança alimentar e farmacêutica. Atualmente, o processamento de ervas e especiarias por radiação ionizante é aceite como uma tecnologia segura e eficaz na descontaminação e desinfeção microbiana. Porém, a maioria dos estudos em irradiação de plantas incide nos efeitos da tecnologia nas propriedades químicas das plantas. O objetivo específico deste trabalho foi estudar os padrões de inativação por radiação gama da microbiota de Mentha x piperita (hortelã-pimenta). A metodologia seguida baseouse na determinação da carga microbiana (bactérias mesófilas e fungos filamentosos) de amostras secas de hortelãpimenta antes e após irradiação a várias doses de radiação gama (1,5 kGy e 10 kGy), recorrendo a métodos convencionais de cultura. As irradiações foram efetuadas num equipamento de Co-60 a um débito de dose de 1,2 kGy/h. Os resultados obtidos indicaram uma cinética de inativação não-linear (côncava) para a população bacteriana das plantas, e uma curva de sobrevivência linear para a população de fungos filamentosos. A análise da contaminação diferencial das amostras indicou após irradiação a 10 kGy, um decréscimo de 3 log em relação à carga bacteriana inicial de 5 log UFC/g, e uma redução de 2 log para a população fúngica inicial de 4 UFC/g. De referir, que não foi detetada a presença de coliformes totais nas amostras irradiadas a partir dos 1,5 kGy. Resumidamente, as eficiências máximas de inativação para as condições do estudo foram de 99,9% para a população bacteriana e de 99% para a população fúngica. Assim, este estudo sugere a tecnologia de irradiação, como um tratamento promissor e mais amigo do ambiente, pretendendo-se validar a sua aplicação na descontaminação/desinfeção microbiana de plantas secas com interesse alimentar e medicinal, sobre as quais este tipo de processamento e seus efeitos não se encontra documentado.
Share - Bookmark