Risco e saúde no contexto do VIH/sida: o caso da prostituição na Baixa da Cidade de Maputo

Master thesis Portuguese OPEN
Muianga, Baltazar Samuel (2009)
  • Subject: Prostituição | VIH/SIDA | Identidade social | Prostitution | HIV/AIDS | Social identity

Tendo como estudo de caso a “Rua do Bagamoyo”, na baixa da cidade de Maputo, a presente dissertação tem por objectivo identificar as estratégias a que as trabalhadoras de sexo recorrem para fazer frente ao risco de infecção pelo VIH/SIDA, por um lado e, por outro, compreender a eficácia destas respostas face aos condicionalismos sociais que influenciam significativamente a gestão de risco e saúde neste grupo social. O processo de pesquisa empírica teve como base uma metodologia qualitativa. Em síntese, a análise dos dados permite concluir que as prostitutas possuem um “stock social de conhecimento” sobre o VIH/SIDA, que impregna o conhecimento da sua vida quotidiana. Portanto, a problemática do VIH/SIDA para este grupo social, se coloca em torno das condicionantes estruturais que propiciam práticas de risco neste contexto social. Assim, face a esses condicionalismos, as prostitutas desenvolvem saberes e práticas de prudência, com vista à minimização dos perigos subjacentes a esta actividade. Em conclusão, pode-se inferir que no contexto da prostituição, o recurso às estratégias defensivas confere a estas mulheres um maior controlo e uma relativa autonomia em relação à negociação do uso do preservativo. Contudo, no domínio privado da sexualidade as prostitutas não observam o mesmo rigor na prevenção de doenças. Este facto deve-se fundamentalmente ao envolvimento emocional e as relações de confiança subjacente ao relacionamento com os seus parceiros regulares, o que resulta na não adopção de mecanismos de gestão e vigilância da saúde face ao VIH/SIDA fora do universo da prostituição. Having as a case of study the “Bagamoyo Street”, located in the downtown of Maputo city, the present dissertation aims to identify on one hand, the strategies that sex workers appeal to face the risk of infection by HIV/AIDS, and to comprehend on the other hand, the efficacy of these responses in face of the social conditionalisms which strongly influence risk and health management within this social group. The process of the empirical research followed a qualitative methodology. In this way, the data analysis enable us to conclude that prostitutes have “a social stock of knowledge” about HIV/AIDS, which is absorved by the knowledge of their day-to-day life. Therefore, the issue of HIV/AIDS for this group, is placed around the structural conditions that provide practices of risk in social context. Thus, taking into account these conditionalisms, prostitutes develop knowledges and practices leading to precaution behaviours, aiming the minimization of the underlying dangers of this activity. In conclusion, it can be deduced that in the context of prostitution, the use of defensive strategies equip these women with a larger control and a relative autonomy in relation to the negotiation of the condom usage. However, within the private sphere of sexuality prostitutes do not follow the same rigidity in the disease prevention area. This fact, results basically from the underlying emotional attachments and confidence relationships with their regular partners, which results in the non adoption of the mechanisms of health management and surveillance in face of HIV/AIDS, outside the universe of prostitution.
Share - Bookmark