Proteinograma sérico, com ênfase em proteínas de fase aguda, de bovinos sadios e bovinos portadores de enfermidade aguda de ocorrência natural

Article Portuguese OPEN
Simplício,K.M.M.G. ; Sousa,F.C. ; Fagliari,J.J. ; Silva,P.C. (2013)
  • Publisher: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
  • Journal: (issn: 1678-4162)
  • Related identifiers: doi: 10.1590/S0102-09352013000500011
  • Subject: Ceruloplasmin | haptoglobina | fibrinogen | transferrin | glicoproteína ácida-α1 | Animal culture | fibrinogênio | glicoproteína ácida-α1 | ceruloplasmina | α1-acid glycoprotein | haptoglobin | SF1-1100 | transferrina

Nas últimas décadas, as proteínas de fase aguda (PFAs) tornaram-se biomarcadores de escolha em medicina humana para identificação e monitoração de doenças. Não há razão para imaginar que tais pesquisas clínicas não sejam igualmente úteis na medicina veterinária. Com o objetivo de verificar a importância das PFAs como biomarcadores de doenças inflamatórias em bovinos, determinou-se o proteinograma sérico, por meio da técnica de eletroforese SDS-PAGE, com interesse especial nas PFAs. Foram utilizados 30 animais, distribuídos em dois grupos: 15 bovinos sadios e 15 bovinos doentes (cinco com mastite estafilocócica, cinco com fotossensibilização e cinco com onfaloflebite). Os animais foram submetidos a colheitas diárias de sangue durante sete dias, enquanto internados no Hospital Veterinário da Unesp, Campus de Jaboticabal. Ceruloplasmina e haptoglobina apresentaram elevação significativa em animais acometidos por mastite, fotossensibilização e onfaloflebite (275,17% e 343,71%; 175,17% e 230,19%; 114,47% e 144,47%, respectivamente). A α1-glicoproteína ácida foi um bom biomarcador apenas em animais com mastite e fotossensibilização, elevando, respectivamente, suas concentrações séricas em 198,14% e 145,89%. Fibrinogênio mostrou-se um indicador confiável apenas em bovinos com mastite, com elevação de 146,5% em relação ao grupo sadio. Ficou clara a diferença na responsividade de distintas PFAs frente a diferentes estímulos inflamatórios. Ceruloplasmina e haptoglobina foram biomarcadores mais sensíveis e, portanto, mais confiáveis entre as PFAs estudadas nessa espécie. Over the last few decades acute phase proteins (APP) have become the biomarkers of choice in human medicine to identify and monitor inflammation and infection. There is no reason to suppose that clinical investigations in veterinary medicine would not be equally assisted by APP assays. Aiming to verify the importance of APPs as biomarkers of inflammatory diseases in domestic cattle, serum protein profiles, especially APPs, were determined through the SDS-PAGE electrophoresis technique. Thirty animals were allotted in two groups: 15 healthy cattle and 15 clinically ill cattle (5 with staphylococcal mastitis, 5 with photosensitization and 5 with onphalophlebitis). All animals were submitted to daily blood sampling during 7 days, while interned in the Veterinarian Hospital from UNESP, Jaboticabal campus. Ceruloplasmin and haptoglobin were significantly elevated in animals with mastitis, photosensitization and onphalophlebitis (275.17% and 343.71%; 175.17% and 230.19%; 114.47% and 144.47%, respectively). α1-acid glycoprotein behaved as a good biomarker only in animals with mastitis and photosensitization, elevating respectively 198.14% and 145.89% of their serum levels. Fibrinogen was a reliable indicator only in animals undergoing mastitis, with a raise of 146.5%. The diverse responsiveness of different APP under distinct inflammatory stimuli was clear. Ceruloplasmin and haptoglobin were more sensible and, therefore, reliable biomarkers to the diseases studied in this species.