Prevalência e fatores associados ao uso de drogas ilícitas em gestantes da coorte BRISA

Article English OPEN
Priscila Coimbra Rocha ; Maria Teresa Seabra Soares de Britto e Alves ; Deysianne Costa das Chagas ; Antônio Augusto Moura da Silva ; Rosangela Fernandes Lucena Batista ; Raimundo Antonio da Silva (2016)
  • Publisher: Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz
  • Journal: Cadernos de Saúde Pública (issn: 1678-4464)
  • Related identifiers: doi: 10.1590/0102-311X00192714
  • Subject: R | RA1-1270 | Gravidez | Public aspects of medicine | Factores de Riesgo | Medicine | Drogas Ilícitas | Embarazo | Fatores de Risco

Resumo O artigo objetiva analisar a prevalência e fatores associados ao uso de drogas ilícitas na gestação. Estudo transversal, aninhado à coorte pré-natal do estudo de coorte BRISA. Utilizou-se medidas de frequência e modelo de regressão logística múltipla hierarquizada. A prevalência estimada foi de 1,45% para o uso de drogas ilícitas, 22,32% para o uso de bebidas alcóolicas e 4,22% para o de cigarro. A população mostrou-se jovem, de 20-34 anos de idade (81%), com escolaridade de 9-11 anos de estudos (75,55%), com mais da metade das mulheres fora da população economicamente ativa (52,18%) e na classe econômica “C” (67,61%). As gestantes apresentaram nível de estresse elevado (24,46%), sintomas de ansiedade de moderada a intensa (40,84%) e sintomas depressivos graves (28,8%). Aproximadamente metade (49,72%) das gestantes relatou ter sofrido algum tipo de violência, tendo a maioria ampla rede (72,77%) e baixo apoio social (65,21%). Uso de drogas lícitas, níveis altos de estresse e monoparentalidade foram os fatores independentemente associados ao uso de drogas ilícitas na gestação.