Mortes e crimes cometidos com armas de fogo na Cidade Autônoma de Buenos Aires, 2002

Article English OPEN
Spinelli Hugo ; Alazraqui Marcio ; Zunino Gabriela ; Hernán Olaeta ; Héctor Poggese ; Carola Concaro ; Sidonie Porterie
  • Publisher: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
  • Journal: Ciência & Saúde Coletiva (issn: 1678-4561)
  • Subject: Ação intersetorial | RA1-1270 | Public aspects of medicine | Mapeamento | Armas de fogo | Violência | Homicídio

A violência se constitui em um dos problemas mais graves da América Latina. O uso de pequenas e leves armas de fogo é considerada a principal responsável por este fato. O objetivo do presente trabalho foi descobrir, a partir de dados do setor saúde, da justiça e da polícia, o número de mortes e crimes envolvendo armas de fogo ocorridos na cidade de Buenos Aires em 2002. Os dados sobre mortalidade e crimes foram obtidos dos Sistemas Nacionais de Estatísticas Vitais e Informação Criminal e os dados sobre apreensão de armas de fogo foram disponibilizados pela Polícia Federal. Utilizaram-se também dados de uma investigação anterior realizada por meio de entrevistas domiciliares a respeito de vitimização por armas de fogo. Durante o período ocorreram 1.304 mortes violentas, dos quais 23.7% corresponderam a mortes provocadas por armas de fogo. Dos 171 indiciamentos policiais por homicídio doloso, 60% haviam sido cometidos com armas de fogo. Das 2.108 pessoas entrevistadas, 6,7% haviam sido vítimas de um crime cometido com arma de fogo. Foram apreendidas 1.887 armas de fogo. A taxa de eventos violentos registrados foi maior nas delegacias da zona sudoeste da cidade, que se caracteriza por condições de vida mais precárias. O impacto da violência e sua relação com armas de fogo constitui-se em um tema relevante da agenda pública.
Share - Bookmark