Respostas de pupunheiras (Bactris gasipaes Kunth) jovens ao alagamento.

Article Portuguese OPEN
CARVALHO, C.J. de ; ISHIDA, F.Y. (2003)
  • Publisher: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.37, nº 9, p.1231-1237, set. 2002.
  • Journal: (issn: 0100-204X, eissn: 1678-3921)
  • Subject: S1-972 | Bactris gasipaes | stomata | clorofila | anoxia | waterlogging | Agriculture (General) | Inundação | Solo | Flooding | estômato | nutrient content | teor de nutrientes | Nutritive value | chlorophylls | Estomato | Valor nutritivo | Soils | Pupunha

O objetivo deste trabalho foi estudar os efeitos do encharcamento do solo sobre a condutância estomática, o conteúdo relativo de água, o teor de clorofila e a concentração de N, P, K e de açúcares solúveis nos tecidos das folhas, bulbos e raízes de pupunheiras (Bactris gasipaes Kunth) jovens. Plantas com seis meses de idade foram submetidas ao alagamento das raízes por períodos contínuos de sete, 14 e 21 dias. O alagamento induziu o fechamento dos estômatos, apesar de os tecidos das folhas terem mantido conteúdos relativos de água em torno de 90%. O alagamento provocou a redução dos teores de clorofila total, N orgânico, P e principalmente K nos tecidos foliares e redução significativa da biomassa das raízes. A anoxia do sistema radicular induziu o acúmulo de açúcares solúveis nos tecidos de folhas e, principalmente, de bulbos e raízes. Apesar de não ter sido detectada morte de nenhuma planta até o final do período experimental, este conjunto de alterações metabólicas permite afirmar que a pupunheira é sensível ao alagamento das raízes.
Share - Bookmark