INFORMAR O PACIENTE: a triologia multidisciplinar Bibliotecas/Medicina/Sociologia da Saúde

Article Portuguese OPEN
Saraiva, Paula Sousa (2012)
  • Publisher: Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas
  • Journal: Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas (issn: ad______)
  • Subject: Sociologia da saúde; informação ao paciente; literacia da saúde; literacia digital; bibliotecas de saúde

Podemos definir o conceito de Sociologia da Saúde como a disciplina que aplicando metodologias de investigação sociológica estuda a relação entre a saúde e os factores sociais que induzem os comportamentos dos indivíduos ou grupos quando expostos perante situações de doença e/ou qualidade de acesso aos cuidados de saúde.Neste domínio a National Library of Medicine (NLM) refere que as principais áreas de investigação incluem por exemplo a influência do género, etnicidade, idade ou estatuto sócio-económico no acesso aos cuidados de saúde bem como comportamentos sociais  dos índividuos, crenças e mudanças socio-culturais face à doença, aliado ao papel desempenhado na sociedade pelas instituições e profissionais de saúde baseadas em técnicas de comunicação e educação do paciente, assentes em inovações tecnológicas e biomédicas.Deste modo, a investigação na área da sociologia da saúde vem demonstrar que nos últimos anos se denotou um aumento da preocupação dos indíviduos com o seu bem estar físico e mental e com práticas que conduzam a uma vida saudável a par de uma necessidade de se manterem bem informados relativamente ás doenças, diagnósticos, prognósticos e terapêuticas mais eficazes, que vão desde a esfera da medicina tradicional à esfera das medicinas alternativas.Estes comportamentos sociais, alteraram a forma de comunicação médico-paciente e o acesso fácil ás novas tecnologias de informação, às redes sociais e fóruns de discussão, em vez de facilitarem e esclarecer os indíviduos, podem causar entropia e ansiedade quando procuram respostas para os seus problemas de saúde em fontes de Informação nem sempre fiáveis.De que forma é que os bibliotecários de saúde, poderão aproveitar este contexto social para gerar valor acrescentado aos seus serviços, apoiando por um lado os seus utilizadores de sempre - os médicos e futuros médicos - no fortalecimento da sua relação e comunicação com os pacientes, providenciando bases de informação credíveis e ajudando a traduzir a terminologia médica em linguagem comum, inteligível e acessível a todo o tipo índivíduos? De que forma as bibliotecas da saúde poderão ganhar um novo tipo de utilizadores - o cidadão comum – providenciando conteúdos de fácil acesso sobre questões relacionadas com cuidados preventivos de saúde e qualidade de vida? De que modo, poderá a literacia digital ajudar a facilitar esta tarefa?Este poster, pretende abordar estas questões e apresentar alguns casos de boas práticas já existentes, a nível nacional e internacional, alertando para a importância do aparecimento de uma nova triologia na abordagem ao paciente centrada em projectos de cooperação entre equipas multidisciplinares que incluam bibliotecários, sociólogos, antropólogos, médicos e organismos governamentais da área da saúde.
Share - Bookmark